PROGRAMAÇÃO - 2017



PROGRAMAÇÃO OFICIAL

THEATRO 4 DE SETEMBRO
Dia 21/08 - segunda-feira
- 20 h - Abertura Solene
- 20:30 h – Traga-me a Cabeça de LIMA BARRETO - Cia. dos Comuns - Rio de Janeiro - RJ – Brasil. / 60 min. / 14 anos / Monólogo. Ficção Documental ou Documento Ficcional de Excelente Qualidade.

Dia 22/08 - terça-feira, 20:30 h - Os bolsos cheios de Pão - La Inquieta Compañía – São Paulo – SP – Brasil. / 60 min. / 12 anos / Drama.

Dia 23/08 -  quarta-feira, 20:30 h - Mythos – Teatro Extremo – Almada – Portugal. / 75 min. / 6 anos / Comédia.

Dia 24/08 - quinta-feira, 20:30 h - Falácia – Projeto Velas Angola – Luanda – Angola. / 45 min. / M12 anos / Monólogo / Drama.

Dia 25/08 – sexta-feira, 20:30 h - As Malditas - Carlos Anchieta & Bid Lima Produções da Cena brasis -  Piauí – Brasil. / 90 min. / 14 anos / Tragicomédia.

Dia 26/agosto – sábado, 10 h – En Cantos – Espetáculo para Bebês – Casa de Portugal em Macau – Macau-China. / De 06 meses a 03 anos / Livre / Teatro de Formas animadas.

Dia 26/08 - sábado, 20:30 h - Um Bico Para Velhos Palhaços - Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil. / 60min. / Livre / Comédia.


TEATRO ESTAÇÃO (ESPAÇO CULTURAL TRILHOS)
Dia 22/agosto - terça-feira, 23 h - Depois do Fim – Truá Cia de Espetáculos/Piauhy Estúdio das Artes – Teresina – PI - Brasil. / 31 min. / 14 anos / Drama.

Dia 23/agosto - quarta-feira, 23 h - Por Revelar - Texto, concepção e interpretação Isabel Mões – Lisboa – Portugal. / 60 min. / 12 anos /

Dia 24/agosto - quinta-feira, 23 h - As Palavras de Jó - Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – Cabo Verde. / 50min. / M14 / Drama.

Dia 25/agosto – sexta-feira, 23 h – Elegbara – Companhia de Teatro Jovens em Cena - COTJOC – Teresina – PI – Brasil. / 40 min. / 15 anos / Drama.

SALA TORQUATO NETO
Dia 25/08 – sexta-feira, 18 h - NÓS NÃOmorremos – SORRISOs NEGRO - COMPANHIA de Difusão Cultural (SsN) - São Tomé e Princípe – São Tomé.  / 55 min. / Livre / Drama.

GALERIA DO CLUB DOS DIÁRIOS
27/agosto – domingo, 19 h - A Comédia dos Erros – Oficina de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – PI – Brasil. / 75 min. / Livre / Farsa.

TEATRO NA RUA
Praça Pedro II
Dia 22/agosto – terça–feira, 17 h – Urubus – Pavilhão da Magnólia/Cia. Prisma – Fortaleza – CE – Brasil. / Livre / Teatro de Rua.

FestLuso SOCIAL
RESTAURANTE TOMATO
Dia 26/agosto – sábado – 20h – Elas por Ela – Cia. de Dramas e Comédias – Teresina – Brasil.

PROGRAMA FORMATIVO - OFICINAS
Construção de Marionetes Gigantes – Elisa Vilaça - Macau
22 a 25/agosto – segunda à sexta-feira, das 9 h  às  12:30 h
Local: Galeria do Club dos Diários.

Elinga: As práticas performativas de matriz africana no processo criativo do performer – Lau Santos – Rio de Janeiro – RJ - Brasil
22 a 25/agosto – terça à sexta-feira, 14 h às 18 h
Local: Casa da Cultura

Dramaturgia da Memória - Isabel Mões – Lisboa - Portugal
22 a 23/agosto – terça e quarta-feira, 9 h às 12:30 h
Local: Sala Procópio Ferreira

LANÇAMENTO DE LIVROS
Dia 22/agosto – terça-feira, 19 h - Cultura Viva Comunitária: Políticas Culturais no Brasil e na América Latina Alexandre Santini – Rio de Janeiro – RJ - Brasil
Local: Café Genu Moraes

Dia 23/agosto – quarta-feira, 19 h - História e arte: teatro, cinema e literatura - Organizadores: Francisco Nascimento, Jaison Castro Silva e Ronyere Ferreira.
Local: Café Genu Moraes – Teresina

ENCONTRO DE DIRETORES LUSÓFONOS
Dia 26/agosto – sábado, 10 h - Sala Torquato Neto (Complexo Cultural Club dos Diários/Theatro 4 de Setembro.


FestLuso CIRCULAÇÃO
  • PARNAÍBA – PI – ESPAÇO BALAIO
Dia 23/agosto – quarta-feira, 20 hFalácia – Projeto Velas Angola – Luanda – Angola. / 45 min. / M12 anos / Monólogo / Drama.

Dia 24/agosto – quinta-feira, 20 h – Somos Todos Catirina - Coletivo Cabaça – Parnaíba – PI – Brasil. / 60 min. / 14 anos /.

Dia 25/agosto – sexta-feira, 20 h - Mythos – Teatro Extremo – Almada – Portugal. / 75 min. / 6 anos / Comédia.

  • FLORIANO - PI - TEATRO MARIA BONITA
Dia 23/agosto – quarta-feira, 20 h – Nos Tempos de Gungunhanha – Klement Tsamba – Moçambique. / 55 min. / M 16 anos.

Dia 24/agosto – quinta-feira, 20 h – NÓS NÃOmorremos – SORRISOs NEGRO - COMPANHIA de Difusão Cultural (SsN) - São Tomé e Princípe – São Tomé.  / 55 min. / Livre / Drama.

Dia 25/agosto – sexta-feira, 20 h – Pelos Caminhos da Perdição – Companhia Os Tais do Teatro e Giramundo Produções Artísticas - Floriano – PI – Brasil. / 50 min.  / 14 anos / Suspense. 

  • OEIRAS – PI - CINE TEATRO OEIRAS
Dia 22/agosto – terça-feira, 20 h – Nos Tempos de Gungunhanha – Klement Tsamba – Moçambique. / 55 min. / M 16 anos.

Dia 23/agosto – quarta-feira, 20 h – NÓS NÃOmorremos – SORRISOs NEGRO - COMPANHIA de Difusão Cultural (SsN) - São Tomé e Princípe – São Tomé.  / 55 min. / Livre / Drama.

SHOWS MUSICAIS
21/agosto – segunda-feira, 23 h – RORAIMA E BANDA – Teresina – PI - Brasil
Local: Espaço Cultural Osório Junior

23/agosto – quarta-feira, 0h – DJ XIXA – Teresina – PI - Brasil
Local: Espaço Cultural Trilhos

25/agosto – Sexta-feira, 0h – DJ DAFRO – Angola
Local: Espaço Cultural Trilhos

26/agosto – sábado, 0h – FESTA DA LUSOFONIA- Show Jards Macalé
Local: Espaço Cultural Trilhos



- Traga-me a Cabeça de LIMA BARRETO - Cia. dos Comuns - Rio de Janeiro - RJ – Brasil.
SINOPSE
O texto, fictício, parte logo após a morte de Lima Barreto, quando os eugenistas exigem a exumação do seu cadáver para uma autópsia a fim de esclarecer “como um cérebro inferior poderia ter produzido tantas obras literárias - romances, crônicas, contos, ensaios e outros alfarrábios - se o privilégio da arte nobre e da boa escrita é das raças superiores?”. A partir desse embate com os eugenistas, a peça mostra as várias facetas da personalidade de Lima Barreto, sua vida, família, loucura, alcoolismo, pobreza, sua obra, racismo e tristezas.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Ator: Hilton Cobra
Dramaturgia: Luiz Marfuz
Direção: Fernanda Júlia
Direção musical: Jarbas Bittencourt
Direção de movimentos: Zebrinha
Vila de Taipa (Laboratório de Investigação de Espaços do Teatro Vila Velha)
Cenário: Erick Saboya, Igor Liberato e Marcio Meirelles
Desenho de luz: Jorginho de Carvalho e Valmyr Ferreira
Figurino: Biza Vianna
Direção de vídeo: David Aynan
Design gráfico: Ga e Bob Siqueira
Assessoria de Imprensa: Márcia Vilella / Target Assessoria
Direção de produção: Tania Rocha
Produção executiva: Afonnso Drumond
Assist. Direção, Preparação corporal e vocal: Fernando Santana
Assistentes de Cenografia: Erick Saboya e Igor Liberato
Adereços: Dominique Faislon
Cenotécnica: Fátima de Souza
Fotografia: Valmyr Ferreira
Assist. de Produção:  Jane Santa Cruz
Operação de Luz e resp. técnico: Marcos Paulo Siqueira
Operação de som: Duda Fonseca
Operação de Vídeo: Cridemar Aquino
Vozes em Off : Lázaro Ramos, Harildo Deda, Frank Menezes, Hebe Alves, Rui Mantur e Stephane Bourgade.
SOBRE A COMPANHIA
Tomando como referência o Teatro Experimental do Negro - TEN, a companhia fundada por Hilton Cobra é formada por atores negros e trata da inserção do negro na cultura brasileira, em textos de criação coletiva, com direção do baiano Marcio Meirelles. O espetáculo de estréia, A Roda do Mundo, 2001, baseia a linguagem corporal na dança e na capoeira para tratar do racismo. A crítica Barbara Heliodora, de O Globo, abre seu texto dizendo que "há algumas décadas que o teatro não apresenta contestação tão violenta", e analisa: "O objetivo do grupo é trazer para o teatro brasileiro o universo do negro, 'discutindo e propondo uma nova consciência que garanta seu crescimento pessoal, intelectual e profissional'. Hilton Cobra criou a Cia dos Comuns em 2001 com o propósito de trazer à cena uma cosmovisão artisticamente negra especialmente no âmbito das artes cênicas.
SERVIÇO
60 min. / 14 anos / Monólogo. Ficção Documental ou Documento Ficcional de Excelente Qualidade.

- Os bolsos cheios de Pão - La Inquieta Compañía – São Paulo – SP – Brasil.
SINOPSE
Um cão está preso no fundo de um poço, fazendo ecoar seu latido… Do lado de fora, dois homens o alimentam com migalhas de pão, discutindo e fazendo suposições de como o pobre animal foi parar lá dentro, criando ao longo do dia uma relação de dependência, jogos de pequenos poderes, discursos vazios, cinismo e uma total falta de ação.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Autor: Matéi Visniec
Direção: Ailton Rosa
Tradução: Roberto Mallet / É Realizações Editora
Elenco: Adriano Araújo e Rogério Costa
Iluminador: Robson Lima
Trilha sonora: Sandra Kison
Figurino: Dalmir Rogério/Zé Valdir Albuquerque
Cenografia: Zé Valdir Albuquerque/ Dalmir Rogerio
Preparação Corporal: Maju Minervino
Fotografia: Waldez Macedo
Visagismo: Nadhia Souza
SOBRE A COMPANHIA
A La Inquieta Compañía foi criada em 2010, tendo como primeira montagem, o espetáculo “Conversa Seletiva”, que foi resultado de um estudo e pesquisa sobre o Teatro de Animação e Formas Animadas. A peça “Os Bolsos Cheios de Pão”, do autor Franco-Romeno Matéi Visniec, é a segunda criação da Cia, que está sediada em São Paulo, e é composta pelo ator e diretor Ailton Rosa, e os atores Adriano Araújo e Rogério Costa. Em Maio de 2017, o grupo regressou de Portugal, onde teve a estréia do espetáculo realizada no Ciclo de Teatro Luso-brasileiro da Cidade de Arcos de Valdevez. A La Inquieta Compañía busca em sua trajetória a liberdade de transitar em diversas linguagens para abrir um diálogo sobre a pluralidade, a solidão, a dependência emocional, e os discursos vazios do homem contemporâneo.
SERVIÇO
60 min. / 12 anos / Drama.

- Mythos – Teatro Extremo – Almada – Portugal.
SINOPSE
Uma conferência sobre a Mitologia. Este é o ponto de partida que leva três personagens a fazer uma “viagem” em tom de comédia, em demanda da curiosidade e da imaginação universal, glosando os mitos universais e urbanos para expor a condição humana na nossa sociedade contemporânea.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
47ª criação do Teatro Extremo
Direção Artística: Joseph Collard
Interpretação: Bibi Gomes, Fernando Jorge Lopes e Rui Cerveira
Cenografia: Teatro Extremo
Construção de Cenografia e Adereços: Daniel Verdades e Maria João Montenegro
Figurinos: Arminda Moisés Coelho
Desenho de Luz: Celestino Verdades
Sonoplastia: Fernando Jorge Lopes e Joseph Collard
Montagem da Sonoplastia: Sandro Esperança
Direção Técnica: Celestino Verdades
Direção de Produção: Sofia Oliveira
Promoção: Victor Pinto Ângelo
Comunicação e Assessoria de Imprensa: Nádia Santos
Assistência de Produção e Secretariado: Paula Almeida
Registo Vídeo: João Varela
Design Gráfico: P2F
Fotografia: Vítor Cid
SOBRE A COMPANHIA
Sediado em Almada, Portugal, desde 1994, o Teatro Extremo constitui-se Associação Cultural em 1996 e tem instalações próprias desde 1999. Estrutura profissional com apoio da Secretaria de Estado da Cultura/Direção Geral das Artes, Câmara Municipal de Almada, Juntas de Freguesia de Almada, municípios e entidades públicas e privadas. Em 2002 foi-lhe atribuído a Medalha de Prata de Mérito Cultural da Cidade de Almada. Desde 2015 garante o funcionamento e a programação do equipamento municipal Teatro-Estúdio António Assunção. Ao longo destas duas décadas, o Teatro Extremo apresentou-se a mais de meio milhão de espectadores em Portugal, Espanha, França, Alemanha, Bélgica, Itália, Inglaterra, Brasil, Cabo Verde e Índia. Em 23 anos de actividade levou à cena perto de cinco dezenas de espetáculos, em produção própria ou em co-produção, investindo na dramaturgia contemporânea e na itinerância. Desenvolve um Serviço Educativo com projectos de formação e de sensibilização e captação de públicos com o envolvimento da comunidade. Organiza desde 1996 “Sementes - Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público”, festival multidisciplinar e descentralizado para público familiar que em 2017 realizou a 22ª edição.
SERVIÇO
75 min. / 6 anos / Comédia.

- Falácia – Projeto Velas Angola – Luanda – Angola.
SINOPSE
FALÁCIA é a o viver de uma mulher que depois de atender ao telefone do marido perde a confiança e decide então terminar a relação conjugal. DOMISIA é a protagonista da trama completa. Essa é a história de uma mulher que de tanto amar sente que foi traída justamente no dia de comemoração de mais um ano de casamento. Por ser uma falácia (Erros de pensamentos), a peça aborda a problemática dos telefonemas enganosos que temos estado a viver no seio dos casais jovens nos dias de hoje.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Título da peça: FALÁCIA
Peça adaptada do Livro UMBRAL DE TRANSMUTAÇÕES do Escritor Angolano Antônio Gonçalves.
Peça de: Deazevedo Buchecha
Revisão Técnica: Manuel dos Santos
Em palco com: Deodete Collsoul
Produção: Projecto Vela Angola
Caracterização: Deodete Collsoul
Direcção de Fotografia: Anovanoel Adi
Contra Regra: Versiano DOMBO
Direcção e Encenação: Deazevedo Buchecha
Som e Luz: Deazevedo Buchecha
Cenário: Deodete Collsoul e Deazevedo Buchecha Angola-Luanda Capital
Projecto Vela Angola-2017...
SOBRE A COMPANHIA
O PROJECTO VELA ANGOLA tem como sigla PVA, é uma agremiação juvenil composta por Actores e Encenadores dos bairros periféricos de Angola, surgiu como um espaço de formação de base teatral, sendo criado no dia 23 de Maio do ano de 2012, a sua existência inscreve-se, no entanto, numa linha de continuidade iniciada pelos os Grupos Nzoji ya Munho e o Grupo N'samuni, ambos da província de Luanda. Desde o ano de 2012 até ao presente ano de 2017, o Projecto Vela Angola já fez várias exibições com as Peças: ENTRE 4 PAREDES - uma obra da autoria do Dramaturgo Brasileiro LÉO GOMES, FALÁCIA - uma obra da autoria do Actor e Ensaísta DEAZEVEDO BUCHECHA e LÚPULO - uma obra da autoria do Actor e Encenador MANUEL CAMACODIA.   
SERVIÇOS
45 min. / M12 anos / Monólogo / Drama.

- As Malditas - Carlos Anchieta & Bid Lima Produções da Cena brasis -  Piauí – Brasil.
SINOPSE
"Duas irmãs com nome de flores e almas de espinhos". Já por esta frase se começa a definir por onde anda o enredo das duas mulheres que dividem casa, intrigas e alfinetadas necessárias à própria sobrevivência incontrolável. Um conturbado relacionamento das irmãs Rosa e Margarida, que ao complexo de "Malditas" aguçam uma rede de intrigas dadas ao cotidiano de uma (in)feliz convivência. Por sete anos dividem um toma lá, dá cá, para "devoção familiar" de parentas que não se suportam. A montagem reconta a última noite que passaram juntas, se amaldiçoando por tudo que fizeram, ou deixaram de fazer uma à outra.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto: Saulo Queiroz
Direção: Arimatan Martins
Elenco: Carlos Anchieta e Franklin Pires
Produção Executiva: Carlos Anchieta & Bid Lima
Figurino: Bid Lima
Cenografia: Bid Lima e Manu Andrade
Caracterização e Maquiagem: Danilo França
Iluminação: Pablo Erickson
Sonoplastia: Márcio Bryto
SERVIÇOS
90 min. / 14 anos / Tragicomédia.

En Cantos – Espetáculo para Bebês – Casa de Portugal em Macau – Macau-China.
SINOPSE
Produzido pela Casa de Portugal em Macau, Em Cantos consiste em seis mini-histórias mimadas ao som de composições musicais inéditas e que servem de mote às diferentes histórias. Bebés e crianças sentam-se com os seus pais ou familiares sobre uma manta de retalhos, onde a atriz interage com elas, num cenário feito de nuvens, um sol, uma casa e pássaros em suspensão.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção Artística e Encenação: Elisa Vilaça
Composição Musical: Tomás Ramos de Deus e Miguel Andrada
Atriz e Manipuladora: Elisa Vilaça
Construção e Produção: Casa de Portugal em Macau
SOBRE A COMPANHIA
Maria Elisa da Rocha Vilaça nasceu em Portugal, na cidade do Porto em 1955, é licenciada em Ciências de Educação. Mestra em Estudos Portugueses – Variante História. Reside em Macau, desde os anos 80 onde foi educadora, professora da Escola do Magistério de Macau, Diretora do Jardim de infância D. José da Costa Nunes e coordenadora do CAPD. Atualmente é diretora da Escola de Artes e Ofícios da Casa de Portugal em Macau, instituição sem fins lucrativos, que desde 2002 desenvolve projetos na área cultural, com destaque para a Cultura Portuguesa. É ainda professora convidada da USJ (Universidade de S. José), onde lecionada a disciplina de “Arte e Criatividade”.
SERVIÇO
De 06 meses a 03 anos /Livre / Teatro de Formas animadas.

- Um Bico Para Velhos Palhaços - Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil.
SINOPSE
Na peça, respondendo a um anúncio, três velhos palhaços reencontram-se numa sala para serem recebidos em audição. Esperam conseguir uma oportunidade de emprego temporário. Enquanto aguardam, relembram o seu velho passado, recheado de momentos de humor e sarcasmo.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto Original: Matéi Visniec
Encenação: Arimatan Martins
Interpretação: Francisco de Castro, Fernando Freitas e Francisco Pellé
Cenografia e Adereços: Emanuel de Andrade
Figurinos: Bid Lima
Iluminação: Assaí Campelo
Música Original: Daniel Hulk e André de Sousa
Sons e Efeitos: José Dantas
Operação do Som: Márcio Brytho
Cabelos e Maquiagem: O Grupo
Visual Gráfico: Paulo Moura (irmão de criação)
Fotografias: Margareth Leite
Produção e Vendas: Soraya Guimarães
Realização: Grupo Harém de Teatro
SOBRE A COMPANHIA
O Grupo Harém de Teatro surgiu em Teresina durante a realização da SEMANA CHICO PEREIRA, no mês de Dezembro de 1985, em homenagem ao grande dramaturgo piauiense, reconhecido nacionalmente. O Grupo Harém de Teatro tem conseguido ao longo de mais de trinta anos celebrar resultados que se justificam não só pela prática saudável do exercício cênico, mas, especialmente, pelo planejada estratégia de sedimentar um histórico e uma memória para os autos do teatro brasileiro que reinventasse as formas do fazer teatral e definisse o homem no centro da cena. Dessa forma é que todos os processos de pesquisa e montagens do repertório de espetáculos do Grupo Harém mantiveram uma finalidade de propósitos de premiar autores locais, nacionais e por vezes internacionais, mas sempre considerando o fio do labirinto da linguagem universalizada à aldeia local, as escritas e falas da personagem aos desenhos dramatúrgicos em que o homem fosse sujeito do próprio discurso e se autorreconhecesse como manipulador da própria arte de criação.
SERVIÇOS
60min. / Livre / Comédia.

- Depois do Fim – Truá Cia de Espetáculos/Piauhy Estúdio das Artes – Teresina – PI - Brasil.
SINOPSE
É a história de uma mulher – a Ruth – que viveu toda uma vida de entregas e abstinências pessoais para dedicar-se inteira aos filhos e ao marido. Neste percurso, Ruth vai perdendo sua identidade, o respeito daqueles por quem gostaria de se sentir amada e num golpe fatal ela é abandonada por eles e começa a ruminar suas lembranças pela casa, a se vitimizar por esse abandono e em um exercício suicida ela vai se afundando nessas memórias até reencontrar o caminho de si mesma, reerguer-se e saí de volta para a vida.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Autor: Vitorino Rodrigues
Direção: Silmara Silva
Elenco: Vitorino Rodrigues
Grupo: Truá Cia de Espetáculos (parceria com o Piauhy Estúdio das Artes)
Iluminação: Renato Caldas
Figurino e maquiagem: Hugo Leonardo
SOBRE AS COMPANHIAS
A Truá Cia de Espetáculos foi criada em novembro de 2007 e teve como ponto de partida a observação, a improvisação e a codificação corporal de experiências laboratoriais, de resultados obtidos nos ensaios, buscando assim uma dramaturgia escrita coletivamente através de palavras e movimentos.
O Coletivo Piauhy Estúdio das Artes pesquisa e desenvolve atividades em artes cênicas com foco principal na formação integral do atuante e suas interfaces com a arte do espetáculo, criando e mantendo produtos teatrais diversos, além de fomentar ações que visam implementar, fundamentar e re-significar suas visões teórico-práticas.
SERVIÇOS
31 min. / 14 anos / Drama.

- Por Revelar - Texto, concepção e interpretação Isabel Mões – Lisboa – Portugal.
SINOPSE
É a partir da coleção de fotografias “perdidas” da avó que a atriz constrói este espetáculo. Por esse caminho inicia-se uma espécie de “reconstrução do objeto fotográfico”, criando aquilo que podemos chamar de “memória da fotografia”, o exercício que vai para além da descrição, que se atinge naquilo que Roland Barthes denomina como «esforço de silêncio», o “ato de fechar os olhos e deixar a imagem falar”. Um estado que pode ser à partida uma espécie de paradoxo com a natureza da própria fotografia, que carrega a contingência desse ato de mostrar, mas que em última análise permite juntar à imagem a consciência afetiva
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto, concepção e interpretação: Isabel Mões
Apoio dramatúrgico e de produção: Ana Lídia Santos e João Carracedo
Luzes: Tasso Adamopoulos
Direção Técnica: Tasso Adamopoulos
Grafismo: Pedro Simões
Fotografia: Maria Lázaro
SOBRE A ATRIZ
É autora dos textos infantis: “A Árvore dos Amendoins” (que também encenou/Recreios da Amadora-2000), “Afonso Faz Birras” (Companhia de Teatro d’Portel, 2001), e “A Ilha do Sumiço” (Pontinha/Loures, e em digressão-2007). Escreveu e encenou o espectáculo “Teatrices” (2001) e “Monólogo de uma Nota Só”, adaptação livre de “Os Cadernos do Subterrâneo” de Fíodor Dostoiévski (2003). Professora de Expressão Dramática/Corporal. Investigação: Bolseira de investigação no projecto TETRA, desenvolvido no Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (2011). Bolseira de investigação no projecto “Teatro para rir: A comédia musical em teatro de língua portuguesa”, desenvolvido no Centro de estudos de sociologia e estética musical, CESEM, na Faculdade de ciências sociais e humanas da Universidade Nova de Lisboa (2011-2012)
SERVIÇOS
60 min. / 12 anos /.

- As Palavras de Jó - Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – Cabo Verde.
SINOPSE
Um espetáculo que grita. Um grito de alerta, um chamado à razão e à lucidez para o maior problema da humanidade. Quando os homens matam em nome de Deus, na verdade, eles matam toda a ideia de transcendência e divindade. “As Palavras de Jó” do autor Matéi Visniec, grita aos semelhantes e aos humanos que parem de se matar uns aos outros e de lutar em nome de Deus! "Não o sujem se vocês o amam”.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto original: Matéi Visniec
Direção Artística e Espaço Cénico: João Branco
Interpretação: João Branco e Nuno Tavares
Música Original: Nuno Tavares e Victor Duarte
Assistente de Encenação: Patrícia Silva
Iluminação: Paulo Cunha
Direcção de Movimento: Janaina Alves
Figurino: Bid Lima
Preparador Físico: Gersey Lima
Produção Executiva: Penélope de Melo
Produção: Centro Cultural Português - Pólo do Min
Fotografias: Bob Lima, Helder Doca, João Vagos e Zé Pereira
SOBRE A COMPANHIA
O Grupo de Teatro do CCP nasceu em 1993, e desde então tem imprimido uma dinâmica teatral em S. Vicente sem precedentes. Começou por ser um Curso de Iniciação Teatral, nasceu como grupo, sem nunca ter esquecido a vertente da formação, que continua a ser ministrada no CCP em paralelo com as actividades do grupo teatral. Assim, o grupo vai substituindo os elementos que saem, captando os alunos mais versáteis, tendo dado origem a um elevado número de novos actores, já considerados unanimemente como a nova geração de actores do teatro cabo-verdiano.
SERVIÇOS
50min. /M14 / Drama.

Elegbara – Companhia de Teatro Jovens em Cena - COTJOC – Teresina – PI – Brasil.
SINOPSE
É um mergulho no imaginário das religiões afro-brasileiras escrito para dois atores e baseado no mito de Édipo Rei. A relação entre uma atriz e um ator nos dias de hoje faz com que essa peça tenha um caráter meta teatral e provoque um efeito de transcontextualização do mito de Édipo. É uma peça ágil, onde muitas revelações acontecem de maneiras difusas e sempre conectadas com o pensamento religioso do candomblé. É uma ação dramática recheada de segredos, mistérios, cultivados por anos e atentos a uma tradição de extrema beleza.
FICHA ARTÍSTA E TÉCNICA
Texto: Toni Edson
Direção: Arimatéia Bispo
Elenco: Janá Silva  (Jô) e Cairo Brunno (Edinho)
Sonoplastia: Samuel Morais
Iluminação: Arimatéia Bispo
Figurino: Siro Siris
Cenografia: Munuadrade
Apoio Técnico: Jesus Silva, Gessyvany Rubim e Wagner Santos
SOBRE A COMPANHIA
A companhia que já existe há 17 anos, iniciada através de um grupo de jovens da Igreja Católica para realizar um espetáculo Paixão de Cristo, anual, com isso perceberam a necessidade de oferecer à comunidade mais atividades culturais, principalmente,  através do teatro, para a região da grande Pedra Mole onde realiza a Mostra de Teatro denominada de “ARTE AO ALCANCE DE TODOS”.
SERVIÇO
40 min. / 15 anos / Drama.

SALA TORQUATO NETO
- NÓS NÃOmorremos – SORRISOs NEGRO - COMPANHIA de Difusão Cultural (SsN) - São Tomé e Princípe – São Tomé.
SINOPSE
Entre os que não morreram neste martírio de 53 mortos, está o Cravide,  este sobreviveu as rajadas de tiros de metralhadora e ficou conhecido como o " HOMEMCRISTO". Não sendo o espetáculo um trabalho de história como ciência inexata, por ser, exatamente uma ação do gênero dramático que tem a matéria prima os fatos históricos da escravatura universal e do massacre ou guerra 53, emergidos de uma coletânea, fruto das entrevistas com alguns Idosos sobreviventes do martírio mais marcante em São Tomé e Príncipe assim como a escravatura marca o mundo, afirmamos que O  HOMEM CRISTO é real e não uma lenda
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Interpretação: Juelce Beija flor, Clinton Carvalho
Encenação: Juelce Beija flor
Textos: Juelce Beija Flor, Clinton Carvalho
Vozes: Dilára (Mãe), Dilára(filha), Ana Ribeiro, Alexandre Carvalho, Juelce Beija flor, Clinton Carvalho.
Edição de voz: Dj Assassino
Capitação de voz: Juelce Beija flor, Clinton Carvalho
Fotos: Professor Chomar
SOBRE O GRUPO
Foi em 2015, como consequência do múltiplo trabalho de animação cultural efetuado no meio escolar e associativo de SÃO TOMÉ que emerge o SORRISOS NEGRO - COMPANHIA de Difusão Cultural (SsN) é uma companhia que atualmente desenvolve atividades apoiadas em quatro eixos estruturantes: Criação, Programação, Acolhimentos e Formação, tendo o teatro como atividade-central.
SERVIÇO
55 min. / Livre / Drama.

- A Comédia dos Erros – Oficina de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – PI – Brasil.
SINOPSE
“Conta a história do mercador Egeonte, que depois de um naufrágio em viagem de negócios tem a família separada. A procura de reencontrar parte da família, se ver envolvido em uma sequência de erros, em uma cidade cheia de farsantes, falsários e corruptos”.  Esta montagem faz parte do projeto de 30 anos de fundação da Oficina de Teatro Procópio Ferreira, sendo a décima montagem teatral.
FICHA ARTÍSTA E TÉCNICA
Autor : William Shakespeare
Dramaturgia: Arimatan Martins
Direção: Arimatan Martins /Luciano Brandão
Assistente Direção : Ayrton de Souza 
Elenco: Anne Sousa ( Adriana), Ayrton de Souza (Antifolo de Efeso), Catarina de Alessandra (I Mercador / Cortezã), Diana Sampaio (Tromio de Efeso), Francisca Clara (Angelo), Gabi Panichi (Emilia), Glenda Medeiros (Luciana), Hudson Lima (Dromio de Siracusa), Luana Lucas (Duque Solino), Henrique Silva (Antifolo de Siracusa), Maria Clara Coutinho (II Mercador / Egeonte), Samuel Lima (Oficial)
Elenco de Apoio: Francisca Xavier e Leonardo Chaves da Silva
Cenografia: Emanuel de Andrade
Figurino: Bid lima
Trilha Sonora: Luciano Brandão/Ayrton de Souza 
Desenho/ Operação de Luz: Assai Campelo /Renato Caldas 
Preparado vogal: Gabi Panichi
Operação de Som: Luciano Brandão
Design Gráfico e Ilustrações: Luciano Brandão
Adereços: Emanuel de Andrade /Bid lima
Produção e Coordenação geral (do projeto): Luciano Brandão
Produção executiva: Samuel Lima
SOBRE A COMPANHIA
Iniciou em 1988 como “Escola de Teatro de Teresina”, e com a estréia, em 1989, do espetáculo “Romeu e Julieta”, de William Shakespeare, passou a ser denominada de “Grupo Amantes Delirantes”, já no ano de 1998, dentro das comemorações de reinauguração do Theatro 4 de Setembro, a Oficina recebeu oficialmente o nome de “Oficina de Teatro Procópio Ferreira”, tendo a presença ilustre da atriz Bibi Ferreira, descerrando a placa inaugural da Sala de funcionamento da Oficina, no Theatro 4 de Setembro, em homenagem ao seu pai. A Oficina tem como ponto de partida a iniciação e formação de novos atores para a cidade de Teresina e se consolidou, na década de 1990, na prática de encenar sempre primando pela qualidade do melhor realizar das suas leituras críticas e interpretativas nas suas montagens. Em 1998, estreou “Sonho de Uma Noite de Verão”, de William Shakespeare. A “Oficina Procópio Ferreira”, no propósito de valorização do teatro brasileiro e sua rica dramaturgia, desenvolveu a Fase Nelson Rodrigues, com a montagem das peças “Os Sete Gatinhos”, “Dorothea” e ainda iniciou os estudos de “Viúva, porém honesta” e em 2009 estreou a peça “A Mulher Sem Pecado”.
SERVIÇO
75 min. / Livre / Farsa.

Urubus – Pavilhão da Magnólia/Cia. Prisma – Fortaleza – CE – Brasil.
SINOPSE
Uma corte que se acha dona de tudo e alheia aos problemas de um reino. Um povo que não sabe muito bem o que fazer e se torna inerte. Quem são os urubus? Quem é a carniça? é neste enredo que se dá o espetáculo “Uurubus”.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção: Prof. Héctor Briones (LPCA – ICA/UFC).
Dramaturgia: Grupo Pavilhão da Magnólia e Cia. Prisma de Artes.
Direção musical e contribuição dramatúrgica: Orlângelo Leal.
Figurino: Joaquim Sotero.
Adereços: Beethoven Cavalcante.
Fotos: Sol Coelho.
Edição de vídeos: Diego Souza.
Design Gráfico: Carol Veras.
Elenco: Beethoven Cavalcante, Denise Costa, Edivaldo Batista, Eliel Carvalho, Gabi Gomes, Gal Saldanha, Jota Júnior Santos, Luisete Carvalho, Nelson Albuquerque, Raimundo Moreira, Silvianne Lima e Wallace Rios.
Coordenação de Produção: Silvianne Lima.
Produção Executiva: Luisla Carvalho.
Assistentes de produção: Fred Joca e Lorenna Aletéia.
Realização: Grupo Pavilhão da Magnólia e Cia. Prisma das Artes.
SOBRE AS COMPANHIAS
PAVILHÃO DA MAGNÓLIA (CE) – fundado em 2005 em Fortaleza, desenvolve uma pesquisa de linguagem que realiza articulações com profissionais instigados pelas diversas possibilidades cênicas que as artes podem proporcionar. Tem produções para o palco, rua e para o público infanto-juvenil.
A CIA. PRISMA DE ARTES (CE), fundada em 26/10/85, traz na bagagem um imenso trabalho junto à periferia da cidade e faz um trabalho basicamente comunitário dentro do bairro Dias Macedo e outros bairros vizinhos. Sua área de atuação é Teatro, Cultura Popular e Programas de incentivo a leitura.
SERVIÇO
Livre / Teatro de Rua.

Elas por Ela – Cia. de Dramas e Comédias – Teresina – Brasil.
SINOPSE.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
SOBRE A COMPANHIA
SERVIÇOS

Somos Todos Catirina - Coletivo Cabaça – Parnaíba – PI – Brasil.
SINOPSE
Para que serve o Corpo? Que marcas o meu corpo traz? Qual o meu sexo? Três perguntas e nenhuma resposta levaram ao elenco do Coletivo Cabaça a disparar o espetáculo-estudo-performance Somos Todos CATIRINA. O trabalho representa a dissecação do entendimento sobre o que é, o que traz e quais as marcas do corpo deflagrado a partir dos estudos dos interpretes nos textos da Revista PALAVRA (Ano 7. Nº 6.2015. SESC) que traz nessa edição o foco sobre o tema corpo. Investigar o que é orgânico, fisiológico, cultural, social, antropofágico nas memórias-cicatrizes que o corpo dos nossos interpretes trazem-nos fez questionar a forma com o qual disponibilizamos o nosso corpo a favor do nosso fazer cênico e o quanto de mensagens e (pre) conceito ofertamos ao outro, no caso, o público.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção/ Pesquisa/argumento: Ryck Costa
Supervisão cênica: Eugênia Castelo Branco
Elenco: Nill Carvalho, Rodrigo Serra e Ryck Costa.
SOBRE A COMPANHIA
Coletivo Cabaça Associação de Artistas, Empreendedores do Litoral do Piauí que promovem cultura através do teatro e dança.
SERVIÇO
60 min. / 14 anos /

Nos Tempos de Gungunhanha – Klement Tsamba – Moçambique.
SINOPSE
Era duma vez um guerreiro da tribo tsonga chamado Umbangananamani, que fora em tempos casado com uma linda mulher da tribo Macua, de nome Malice. Não tiveram filhos. Mas tentaram muito. Este é o mote que dá início ao grande karingana ou conto tradicional sobre a vida de um simples guerreiro, mas que muito rapidamente se vai transformar numa sequência de outros pequenos karinganas que relatam aspectos curiosos ligados à vida na corte do rei Gungunhana, onde a crueldade e as mortes por vezes se misturam com o humor, em cada karingana contado e cantado com a graça dos ritmos tradicionais de Moçambique. No entanto, este karingana, não tem nada a ver com
Gungunhana! Voltemos então à história: Karingana wa Karingana!
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Textos originais: Ungulani Ba Ka Khosa
Criação/Interpretação: Klemente Tsamba
Apoio/Assistência criativa: Filipa Figueiredo, Paulo Cintrão e Ricardo Karitsis
SOBRE O INTERPRETE
Klemente Tsamba nasceu na Malhangalene [1974], um dos bairros mais criativos de Maputo, capital de Moçambique e, desde cedo integrou vários projetos relacionados com artes performativas tais como, bandas de música tradicional, trupes de dança hip-hop e mais tarde, grupos de teatro amador. Após ter participado no 1º curso de teatro comunitário promovido pelo PAND - artistas unidos da Finlândia e Teatro AGORA, é seleccionado [2001] para integrar o projeto “Xtórias”, uma performance teatral baseada em contos tradicionais macondes e alentejanos, produzida pelo Arte pública – Artes performativas de Beja [Portugal] e dirigida pela encenadora Gisela Cañamero. Já a trabalhar como actor profissional, conclui a licenciatura em Educação e Comunicação Multimédia [2009], e através da conjugação destas duas áreas, passa a dedicar a sua criatividade ao serviço de entidades relacionadas com a educação pela arte, através da promoção e monitorização de oficinas de criatividade para crianças e jovens.
SERVIÇOS
55 min. / M 16 anos.

Pelos Caminhos da Perdição – Companhia Os Tais do Teatro e Giramundo Produções Artísticas - Floriano – PI – Brasil.
SIPNOPSE
Duas irmãs enclausuradas na solidão eterna caminham sob a religiosidade severa e rejeitam qualquer forma de venha a despertar os desejos de uma vida mundana, seus hábitos, porém, se ameaçam com a possibilidade de sua linhagem familiar seja desviada através de uma sobrinha que fora criada fora do severo seio familiar. A mesma traz a possibilidade de liberdade dos atos desta família.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto: Waldir Correia
Direção: Lorena Campelo
Elenco: Annysia Carvalho, Iraci Costa e Janaina Oliveira
Luz: Mayconn Wynnycyus
Som: Jafah Barboza
Figurino: Wilson Costa
SOBRE A COMPANHIA
A Companhia “OS TAIS” do Teatro, existe desde fevereiro de 2006, com o apoio do Grupo Escalet de Teatro, que cede espaço e faz a capacitação dos artistas. A Companhia é formada por jovens e adolescentes que buscam capacitação profissional e assim garanti um futuro digno através de trabalhos na área do circo, com crianças e adolescentes das escolas públicas na cidade de Floriano - PI.
SERVIÇOS
Tempo / 14 anos / Suspense




PROGRAMAÇÃO GERAL

THEATRO 4 DE SETEMBRO / ESPAÇO CULTURAL CLUB DOS DIÁRIOS
Dia 22/agosto - segunda-feira
Café Genu Moraes
19:00h – Lançamento do Livro e CD Contos das Estrelas – Sidónio Massoxi e Hermenegildo Paquete - Angola
Theatro 4 de Setembro
20:00h –  Abertura Solene
20:30h - Exu, a Boca do Universo - Núcleo Afrobrasileiro  de Teatro de Alagoinhas - Nata - Alagoinhas – Bahia - Brasil
SERVIÇOS: 70 min. / 18 anos / drama cômico - dramaturgia músico-poética
Espaço Cultural Osório Junior
22:30h – Show "Márcio Menezes Rec.Play" apresenta Dino Rangel

Dia 23/agosto - terça-feira, 20:30h - Nos tempos do Gungunhana - Klemente Tsamba – Moçambique/Portugal
SERVIÇOS: 55 min. / 16 anos / Drama - História

Dia 24/agosto - quarta-feira, 20:30h – Hamlet: O Preço da Vingança - Projeto Resgarte - Angola
SERVIÇOS: 80 min. / 12 anos / Drama

Dia 25/agosto - quinta-feira, 20:30h - No Limite da Dor – Lendias d’Encantar – Beja - Portugal
SERVIÇOS: 60 min. / 12 anos / Drama

Dia 26/agosto - sexta-feira, 20:30h - Estrangeiras – Coprodução Teatro Municipal do Porto e Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – Porto - Portugal / Cabo Verde – África
SERVIÇOS: 70 min./ 12 anos / Comédia

Dia 27/agosto – sábado, 20:30h - Laços de Sangue – NET – Núcleo Experimental de Teatro (Núcleo Criativo e Fundação Sindika Dokolo/Elinga Teatro) - Luanda/Angola
SERVIÇOS: 120 min. / 14 anos / Drama

Dia 28/agosto – domingo, 19h - O Cheiro da Feijoada - Iléa Ferraz - Rio de Janeiro – Rio de Janeiro – Brasil
SERVIÇOS: 50 min. / 10 anos / Monólogo Musical

TEATRO DO BOI
Dia 25/agosto - quinta-feira, 18:30h - Casimira Quietinha – Grupo Mosay de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil
SERVIÇOS: 45 min. / A partir de 12 anos / Comédia

Dia 27/agosto - sábado, 18:30h - O Guloso Mentiroso – Cia. Os Parodiantes da Ilha - São Tomé e Príncipe - África
SERVIÇOS: 60 min. / A partir de 6 anos / Comédia juvenil


TEATRO NA RUA
UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ – UESPI – Campus Poeta Torquato Neto – bairro Pirajá – Teresina – PI.
Dia 25/agosto – quinta-feira, 18:30h - Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro - Associação Artística Nóis de Teatro – Fortaleza – Ceará – Brasil
SERVIÇOS: 100 min. / Livre / Teatro de Rua

PRAÇA PEDRO II – Centro – Teresina – PI
Dia 26/agosto – sexta-feira, 18h - Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro - Associação Artística Nóis de Teatro – Fortaleza – Ceará – Brasil
SERVIÇOS: 100 min. / Livre / Teatro de Rua


TEATRO ESTAÇÃO (ESPAÇO CULTURA TRILHOS)
Dia 23/agosto – terça-feira, 23h - A Virada do Jogo - Grupo de Teatro Lareira - Maputo – Moçambique - África
SERVIÇOS: 50 min. / 10 anos / Tragicomédia

Dia 24/agosto - quarta-feira, 23h - Anjo Negro – Grupo de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – Piauí – Brasil - Brasil
SERVIÇOS: 70 min. / 14 anos / Drama

Dia 25/agosto - quinta-feira, 23h - A Casa de Bernarda Alba - Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí - Brasil
SERVIÇOS: 80 min. / 16 anos / Drama

Dia 26/agosto - sexta-feira, 23h - A Casa de Bernarda Alba - Grupo Harém de Teatro - Teresina – Piauí – Brasil
SERVIÇOS: 80 min. / 16 anos / Drama

SHOWS MUSICAIS – ESPAÇO CULTURAL TRILHOS (a programação terá início ao término da apresentação do Teatro Estação).
Dia 23/agosto – terça-feira, 00:00h (horário previsto) - Samba – Rosinha Amorim
Dia 24/agosto - quarta-feira, 00:00h (horário previsto) – Preto Kedé - RapReggae
Dia 25/agosto - quinta-feira, 00:00h (horário previsto) – Elétrique Zamba – Fábio Crazy e Livio Nascimento
Dia 26/agosto - sexta-feira, 00:00h (horário previsto) – Gomes Brasil
Dia 27/agosto – sábado¸00:00h (horário previsto) – Festa Lusófona – Os Car@s Pret@s   e  Valnei Ainê & Banda


PARNAÍBA – PIAUÍ
Dia 24/agosto – quarta-feira, 19h - Laços de Sangue - Núcleo Experimental de Teatro (Núcleo Criativo e Fundação Sindika Dokolo/Elinga Teatro) - Luanda/Angola
SERVIÇOS: 120 min. / 14 anos / Drama

Dia 25/agosto - quinta-feira, 19h - Nos tempos do Gungunhana - Klemente Tsamba – Moçambique/Portugal
SERVIÇOS: 50 min. / 16 anos / Drama - História

Dia 26/agosto – sexta-feira, 19h – Mulheres e Lendas – A e C Promoções Culturais – Parnaíba – Piauí - Brasil
SERVIÇOS: 60 min. / 14 anos / Drama

PIRIPIRI – PIAUÍ
Dia 25/agosto – quinta-feira, 19h – O Guloso Mentiroso – Cia. Os Parodiantes da Ilha - São Tomé e Príncipe - África
SERVIÇOS: 50 min. / 6 anos / Comédia juvenil

FLORIANO – PIAUÍ
Dia 24/agosto - quarta-feira, 19h - No Limite da Dor – Lendias d’Encantar – Beja – Portugal
SERVIÇOS: 60 min. / 12 anos / Drama

Dia 25/08 – quinta-feira, 19h - Fieis – Grupo Cangaço de Teatro – Floriano – Piauí - Brasil
SERVIÇOS: 90 min. / 18 anos / Drama

Dia 26/agosto - sexta-feira, 19h – Hamlet: O Preço da Vingança - Projeto Resgarte - Angola
SERVIÇOS: 80min. / 12 anos / Drama

OEIRAS – PIAUÍ
Dia 23/agosto - terça-feira, 19h - O Guloso Mentiroso – Cia. Parodiantes da Ilha - São Tomé e Príncipe - África
SERVIÇOS: 50 min. / 6 anos / Comédia juvenil

Dia 25/agosto – quinta-feira, 19h - A Virada do Jogo - Grupo de Teatro Lareira - Maputo – Moçambique - África
SERVIÇOS: 50 min. / 10 anos / Tragicomédia


PROGRAMA FORMATIVO
 - Theatro 4 de Setembro
Produção Teatral – Susan Kalik
Dia 23/agosto – terça-feira, das 14:00h  às  17:00h
Ojuinan – Preparação de Atores - Fernanda Julia
Dias  24/agosto – quarta-feira, das 09:00h  às  17:00h
Dança Afro para não dançarino
Dias 25/agosto – quinta-feira, das 09:00h  às  17:00h

NORTEA
Programação da 5ª Edição do Núcleo de Laboratórios Teatrais do Nordeste - NORTEA no Festival de Teatro Lusófono – FestLuso 2016.
Dia 23/agosto/16 - terça-feira, das 9h às 12h – Casa da Cultura (Auditório)
Abertura oficial do Encontro: Francisco Pellé (Diretor do FestLuso)
→ Mesa Redonda: Teatro Brasileiro de Expressão Nordestina: Realidades, Desafios e Perspectivas.
- Expositores:
Fernando Yamamoto (Grupo Clowns de Shakespeare – RN)
Marcelo Flecha (Pequena CIA de Teatro – MA)
Pedro Vilela (Trema Festival, Revista 4ª Parede – PE)
- Moderador:
Adriano Abreu (Coletivo Piauhy Estúdio das Artes – PI)

Dia 24/agosto/2016 - quarta-feira, das 9h às 12h – Casa da Cultura (Auditório)
→ Painel: Encontro dos Diretores Lusófonos
Painel com a participação de todos os diretores presentes no Festival de Teatro Lusófono
- Coordenação:
Arimatan Martins

Dia 25/agosto/2016 - quinta-feira, das 9h às 12h – Casa da Cultura (Sala de Dança)
Processos e Experimentos
Participantes Laboratórios Teatrais do Nordeste e Grupos participantes do FestLuso 2016 interessados em mostrar processos e experimentos
- Coordenação e Mostras:
Oco Teatro Laboratório e Coletivo Piauhy Estúdio das Artes

Dia 26/agosto/2016 - sexta-feira, das 9h às 12h – Casa da Cultura (Auditório)
→ Colóquios:
Experiências em Formação e Produção Teatral Compartilhadas
Troféu Carlos Câmara
Troféu Os Melhores do Teatro Piauiense:
Expositores: 
Antônio Marcelo Coordenador do Troféu Carlos Câmara – CE)
Aci Campelo (Coordenador do Troféu os Melhores do Teatro Piauiense -PI)
CPTA - Centro de Pesquisa Teatral do Ator e Escola Técnica de Teatro Gomes Campos:
Expositores:
Alexandre Vargas (Fundador do CPTA - RS)
Chiquinho Pereira (diretor da Escola Técnica de Teatro Gomes campos - PI)
FestLuso, TREMA FESTIVAL e Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre
Expositores:
Francisco Pellé (Curador e Diretor do Festival de Teatro Lusófono - PI)
Pedro Vilela (Coordenador do Trema Festival – PE)
Alexandre Vargas (Coordenador e Curador do Festival de Teatro de Rua de Porto Alegre)
Coordenação:
Adriano Abreu

Dia 27/agosto/2016 – sábado, das 9h às 12h – Casa da Cultura (Auditório e Sala de Dança)
→ Conferência: Aspectos do Teatro Brasileiro Contemporâneo (Auditório)
Conferencista:
Kil Abreu (Curador do Centro Cultural São Paulo – SP)
Coordenação:
Eraldo Maia - SP
Mostra de Processo: Espetáculo Casca de Noz
Grupo: O Pessoal do Tarará (Dionízio Cosme do Apodi – RN/SP)
Todas as atividades do 5º NORTEA acontecerão na Casa da Cultura de Teresina – Rua Rui Barbosa, 348 – Centro/Sul – Praça Saraiva

EXU, A BOCA DO UNIVERSO


Companhia de Teatro Nata - Alagoinhas – Bahia - Brasil

É uma celebração à vida. Narrando as diversas facetas do Orixá Exu, o Núcleo Afrobrasileiro de Alagoinhas (NATA), passa em revista a ancestralidade de Yangui – o que veio antes de vir –, a irreverência de Enugbarijó, a sexualidade de Legbá, o virtuosismo de Bará, que rege o movimento do corpo, e, entre outras coisas, a descoberta de que Exu teve um amor...
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção: Fernanda Júlia
Texto: Daniel Arcades
Coautoria Texto: Fernanda Júlia
Assistência de Direção: Sanara Rocha
Elenco: Antônio Marcelo, Daniel Arcades, Fabíola Júlia, Fernando Santana e Thiago Romero
Instrumentista: Sanara Rocha
Direção Musical: Jarbas Bittencourt
Letras das Músicas: Daniel Arcades
Música sim, sim, não, não: Jarbas Bittencourt
Cenografia, Figurinos e Maquiagem: Thiago Romero
Consultoria Litúrgica Afro-Antropológica: Babalorixá Rychelmy Imbiriba
Coreografia: Zebrinha
Desenho de Luz: Nando Zâmbia
Preparação Vocal: Marcelo Jardim
Orientação de Axé: Yalorixá Roselina Barbosa
Fotos de Divulgação: Andréa Magnoni
Produção: Kalik Produções, Susan Kalik, Francisco Xavier, Cardim Projetos e Márcia Cardim
SOBRE A COMPANHIA
NATA – Núcleo Afro-Brasileiro de Teatro de Alagoinhas
A Companhia de Teatro Nata, fundada em 17 de outubro de 1998, na cidade de Alagoinhas surgiu de um festival estudantil de Teatro representando o Colégio Estadual Polivalente de Alagoinhas, desde o seu surgimento a Cia de Teatro Nata vem realizando montagens teatrais, oficinas, leituras dramáticas, e movimentando o espaço teatral com projetos que discutem, divulgam e valorizam a cultura Afro-Brasileira em Alagoinhas, Salvador e em grande parte do interior do Estado da Bahia, os espetáculos possuem como eixo norteador a história, cultura e religiosidade Afro-Brasileira, a fim de desmitificar os preconceitos e as imagens equivocadas que povoam histórica e culturalmente o imaginário coletivo da sociedade, resultado de um processo de colonização e racismo.

NOS TEMPOS DO GUNGUNHANA


Klemente Tsamba – Moçambique / Portugal



É um monólogo interativo, inspirado nos contadores de histórias africanas e nos relatos de Ualalapi, livro do escritor moçambicano Ungulani Ba ka Khosa, vencedor do prémio de ficção narrativa (Moçambique – 1990).  “Nos tempos de Gungunhana” é um conjunto de histórias dentro de uma história, uma obra que parte de um tempo histórico e de uma cultura particular para depois seguir numa viagem universalista e sem fronteiras.
“Era uma vez um guerreiro da tribo Tsonga chamado Umbangani Namani, que fora em tempos casado com uma linda mulher da tribo Macua, chamada Malice. Não tiveram filhos… mas tentaram muito… Este é o mote que dá início ao grande karingana ou conto tradicional sobre os ciúmes e os feitiços vividos numa família comum, que muito rapidamente se transforma numa sequência de outros pequenos karinganas que relatam  aspectos relacionados com a vida na corte do rei Gungunhana.”
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Textos Originais: Ungulani Ba Ka Khosa
Criação, Interpretação, Cenografia e Design de Figurino: Klemente Tsamba
Colaboração e Assistência Criativa: Filipa Figueiredo, Paulo Cintrão e Ricardo Karitsis
Direção, Operação Multimédia, Revisão do Texto e Criação do Figurino: Filipa Figueiredo
Desenho, Montagem de Luz e Operação de Luz: Ivan Castro e Ana Rodrigues
Criação de Figurino: Anabela Pereira da Silva
Fotografia: José Ferrolho
Cartaz: Susa Monteiro
Produção: Teatro Tribos - Grupo Informal
SOBRE O CRIADOR E INTÉRPRETE
Klemente Tsamba nasceu na Malhangalene [1974], um dos bairros mais criativos de Maputo, capital de Moçambique e, desde cedo integrou vários projetos relacionados com artes performativas tais como, bandas de música tradicional, trupes de dança hiphop e mais tarde, grupos de teatro amador. Após ter participado no 1º curso de teatro comunitário promovido pelo PAND - artistas unidos da Finlândia e Teatro AGORA, é seleccionado [2001] para integrar o projeto “Xtórias”, uma performance teatral baseada em contos tradicionais macondes e alentejanos, produzida pelo Arte pública – Artes performativas de Beja [Portugal] e dirigida pela encenadora Gisela Cañamero. Já a trabalhar como actor profissional, conclui a licenciatura em Educação e Comunicação Multimédia [2009], e através da conjugação destas duas áreas, passa a dedicar a sua criatividade ao serviço de entidades relacionadas com a educação pela arte, através da promoção e monitorização de oficinas de criatividade para crianças e jovens. Estreia-se como criador em nome próprio com a peça  "Magia Negra", um monólogo baseado na literatura moçambicana, que veio a representar Moçambique no 1º Festival de Teatro Lusófono de Teresina no Piauí, com passagem por Salvador da Bahia - Brasil [2008].

HAMLET: O PREÇO DA VINGANÇA




Projeto Resgarte – Angola


Um espírito vagante circula sob o Reino, as barreiras entre o natural e sobrenatural são quebradas, o atormentado jovem caminha a beira da loucura. As suas escolhas são simples: Vingança ou misericórdia; Esperança ou desespero; Vida ou Morte.

Hamlet: O Preço da Vingança é baseado no clássico escrito por William Shakespeare entre 1599 e 1601, Resgarte leva aos palcos esta adaptação representada num contexto Africano. 

Certamente Shakespeare merece toda a fama, admiração e distinção que lhe atribuem, “Hamlet” é uma obra de perfeita maestria, em que o autor retrata compassivamente momentos de loucura fingida e real, culpa, devastação mental durante a transição de ultrapassar tristeza fúnebre, e a busca por vingança misturado de filosofia e uma construção de palavras sem sentido para os tolos mas perfeitamente explicativas a quem as proferia. Uma obra recheada de humor negro em que a história é construída em metáforas na qual se exploram temas de traição, vingança, incesto e corrupção moral.

Ilustrado de uma forma contemporânea, sem limitações no tempo e espaço, esta viagem emocionante proporciona uma inovadora e criativa representação de uma das maiores obras da Dramaturgia Universal.

FICHA ARTISTICA E TÉCNICA
Texto: William Shakespeare
Dramaturgia e Encenação: Emanuel Nkruma Paim
Assistente de Direcção: Barbara Cohen 
Assistente de Encenação: Quim Fasano
Elenco: Emanuel Nkruma Paim, Mayomona Vicente, Quim Fasano, Lizeth Joaquim, Wime Braúlio Martins, Helena Moreno, Sidonio Massoxiartz.
Guarda-Roupa: Essanjo Pitra
Coreografia: Laritsia Salomé
Cenografia: Sidónio Massoxiartz
Produção: Alcino Cristóvão, Yara Dias Miguel, Jelson Francisco
Assistentes de Produção: Fábio Medina, Isandra Capita, Junice Contreiras e Angela Cardoso
SOBRE O PROJETO
RESGARTE
ARTES CÉNICAS, CULTURA E EDUCAÇÃO
Projecto artístico dentro das artes, que tem como principais objectivos a criação e apresentação de espectáculos de teatro, dos vários géneros com as obras referenciais, clássicas e contemporâneas, do repertório dramático nacional e universal.
Resgarte é um projecto artístico dentro das artes de representação que visa, através de suas acções, criar um modelo que potencie e explore as Artes Cénicas junto dos artistas e seus públicos, estabelecendo uma identidade artística através do uso e aplicação de técnicas tradicionais e convencionais de Teatro, resgatando os valores artísticos dando uma identidade a um estilo de representação de alta qualidade técnica e artística.

NO LIMITE DA DOR
 

Lendias d’Encantar – Beja - Portugal

Quatro histórias que se entrelaçam numa peça que traz aos espectadores de hoje, a experiência vivida por muitos portugueses às mãos da PIDE, durante os anos da ditadura. Uma profunda reflexão sobre a resistência, o medo, a humilhação, a dor e a dignidade do ser humano – esta é a proposta que fazemos ao espectador de hoje, às novas gerações que provavelmente terão dificuldade em compreender a sua real dimensão.
Duas mulheres e dois homens: Georgina, Luís Moita, Conceição e Domingos, transitam durante setenta e cinco minutos ante os nossos olhos, mas não são personagens teatrais, são personagens reais que testemunham através da emoção e da técnica de um grupo de actores, experiências por eles vividas e que nos chamam a atenção para a importância dos ideais, das convicções e da família.
No Limite da Dor é uma peça que colocamos nas mãos do espectador actual, sobretudo pela importância de dar a conhecer e suscitar o debate, sobre as situações colocadas pelas personagens. São, sem dúvida, dados importantes para que possamos preservar uma memória colectiva, sobre acontecimentos tão dramáticos vividos pelo povo Português.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Ficha Técnica e Artística – A partir do Livro “No Limite da Dor” de Ana Aranha e Carlos Ademar
Encenação e Dramaturgia: Julio Cesar Ramirez
Interpretação: Ana Ademar e António Revez
Cenografia: Julio Cesar Ramirez
Figurinos, Grafismo e Fotografia: Ana Rodrigues
Banda Sonora: João Nunes e Fernando Pardal
Desenho de Luz e Sonoplastia: Ivan Castro
Operação de Luz e Som: Ivan Castro
Construção de Cenário: Ana Rodrigues e Ivan Castro
Produção Executiva: Rafael Costa
SOBRE A COMPANHIA
Lendias d’Encantar
Foi fundada em Beja no ano de 1998 e desde então tem trabalhado na criação e produção teatrais, na formação, dinamização e programação cultural da região. Com uma forte componente de itinerância, a LdE tem apresentado o seu trabalho um pouco por todo o país e tem já algumas apresentações internacionais, nomeadamente em Cuba, Nicarágua e Venezuela.
Com a abertura do Espaço Os Infantes a LdE chamou a si a responsabilidade de proporcionar uma programação cultural alternativa, dinâmica e ecléctica à população de Beja. Até agora o Espaço já foi palco de concertos, espectáculos de teatro, recitais de poesia, sala de cinema, espaço de conferências, galeria de arte, etc. Também por ter, finalmente, um espaço de trabalho, foi possível à estrutura tornar real o sonho de longa data: a organização de um festival internacional de teatro.
Desde 2014 organiza o FITA – Festival Internacional de Teatro do Alentejo que este ano vai na sua 3ª edição. Este trabalho levou a que a companhia alargasse a sua rede de parcerias com estruturas internacionais o que tem permitido a circulação dos seus espectáculos por festivais de teatro em vários países. Um desses festivais é Festival Internacional de Teatro de Manizales  onde o FITA/LdE, foi convidado a integrar a REDELAE – Red Euro-Latinoamericana de Festivales, sendo o único representante português de entre os vinte e seis festivais que integram a rede.

ESTRANGEIRAS

Teatro Municipal do Porto e Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – Porto - Portugal / Cabo Verde – África


Ao tentarem entrar nos Estados Unidos, três mulheres, chegadas de diferentes latitudes da lusofonia, são obrigadas a ficar juntas durante algumas horas numa sala da polícia de fronteira do aeroporto. É na incerteza dessa espera que, aos poucos, vão mostrando o que são e o que pensam umas sobre as outras. Esta é uma peça sobre os diversos espaços de uma língua espalhada pelo mundo, sobre o seu património de referências, a sua riqueza e, também, sobre os seus preconceitos, contradições e problemas.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto Original: José Luís Peixoto (Portugal)
Encenação e Direção Artística: João Branco (Cabo Verde)
Interpretação: Francisca Lima (Portugal), Janaina Alves (Brasil), Sílvia Lima (Cabo Verde)
Figurinos: Janaina Alves
Desenho de Luz João Branco
Música Original: Caio Terra (Brasil)
Produção Executiva: Jorge Rui (Portugal)
Coprodução: Teatro Municipal do Porto e Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo
Apoio à produção em Portugal: Ideias Peregrinas
Apoio à produção em Cabo Verde: ALAIM - Academia Livre De Artes Integradas Do Mindelo
SOBRE A PARCERIA
O Teatro Municipal do Porto, através dos seus dois pólos, os teatros Rivoli e Campo Alegre, apresenta um programa multidisciplinar, aberto a várias latitudes e a diversos tipos de público, executando a estratégia implementada pelo Pelouro da Cultura da Câmara Municipal do Porto desde a sua reabertura em setembro de 2014. O equilíbrio entre o que se faz na cidade, o que circula no país e o que de internacional apresentamos no Porto, faz deste Teatro um verdadeiro lugar de descobertas e confirmações artísticas. Um sítio onde diferentes abordagens são programadas e apresentadas em múltiplas escalas. 
O Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo nasceu em 1993, e desde então tem imprimido uma dinâmica teatral em S. Vicente sem precedentes. Começou por ser um Curso de Iniciação Teatral, nasceu como grupo, sem nunca ter esquecido a vertente da formação, que continua a ser ministrada no CCP em paralelo com as actividades do grupo teatral. Assim, o grupo vai substituindo os elementos que saem, captando os alunos mais versáteis, tendo dado origem a um elevado número de novos actores, já considerados unanimemente como a nova geração de actores do teatro cabo-verdiano.
23 anos e mais de 30 participações em eventos internacionais de artes cénicas, elevando o nosso teatro a outros patamares. Um grupo que já se apresentou nalguns dos maiores centros culturais do mundo em países como Brasil, Espanha, Franca, Holanda, Itália e Portugal, mostrando que o teatro em Cabo Verde é hoje uma arte em plena ascensão.
23 anos de política de repertório que revolucionou por completo o teatro nacional. As pecas vão desde originais de elementos do próprio grupo, até à encenação de autores nacionais consagrados como Arménio Vieira, Germano Almeida, ,Aurélio Gonçalves, Eugénio Tavares ou Mário Lúcio Sousa, passando pela adaptação de autores da dramaturgia universal, tendo sido o primeiro grupo a encenar em crioulo autores como Shakespeare, Lorca, Molière, Wilde ou Beckett.
O Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo, fundado em 18 de Fevereiro de 1993, conta já no seu historial 52 produções, encontra-se prestes a estrear a 53ª produção cénica do seu historial. 
O Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo é uma estrutura de produção teatral enquadrada no Centro Cultural Português - Pólo do Mindelo, do Camões Instituto da Cooperação e da Língua.


LAÇOS DE SANGUE

Núcleo Experimental de Teatro - NET – Angola - África

A narração baseia-se num conflito entre dois irmãos, Morris e Zacarias, filhos da mesma mãe e pais diferentes, que, por circunstâncias naturais, um nasceu negro e outro mestiço. Esta diferença determinou percursos e oportunidades desiguais nas suas vidas, que o escritor Athol Fugard explorou dramaturgicamente.  A peça foi escrita no contexto sócio-político sul-africano do apartheid, contudo aborda um tema transversal a todas as épocas e sociedades. Na triangulação atlântica Angola, Brasil e Portugal, onde os discursos luso-tropicalistas e os mitos da democracia racial remetem a questão racial para uma aparente invisibilidade, é urgente reflectir e debater frontalmente o tema do racismo que perdura nas nossas sociedades actuais.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Laços de Sangue é uma adaptação do texto de Athol Fugard
Adaptação e Direção: José Mena Abrantes
Direcção de Actores: Rogério de Carvalho
Actores: Meirinho Mendes e Raúl do Rosário
Desenho de Luzes: Jorge Ribeiro
Sonoplastia: Sebastião Delgado
Guarda-Roupa: Alex Kangala.
Coprodução: Trienal de Luanda, Elinga Teatro e Núcleo Experimental de Teatro
O GRUPO
NET | Núcleo Experimental de Teatro
É uma fusão entre o Grupo Elinga Teatro e o Núcleo de Teatro da Fundação Sindika Dokolo, com o propósito de desenvolver obras de teatro nos seus variados géneros drama, comédia, performance, mimo etc, e que se irá focar sobretudo no lado experimental do teatro e na formação de novos artistas para as mais variadas áreas das artes cénicas em Angola.
José Mena Abrantes (encenador), Rogério de Carvalho (encenador), Meirinho Mendes (actor) e Raul do Rosário (actor), constituem a base deste colectivo multi funcional e ecléctico.

O CHEIRO DA FEIJOADA

Iléa Ferraz - Rio de Janeiro – Rio de Janeiro – Brasil


O monólogo musical conta, através da memória de uma preta velha, lavadeira, a história da origem da feijoada e revela a importância da presença do cidadão afro-brasileiro na formação da cultura brasileira.
O Cheiro da Feijoada, por ser um espetáculo que valoriza a cultura afro- brasileira, é reconhecido pela Secretária de Educação do Estado do Rio de Janeiro, como um espetáculo que fundamentaliza educadores na difusão  dos princípios da lei 10.639, que cria a obrigatoriedade do ensino da cultura de matrizes africanas.
O Cheiro da Feijoada pesquisa e formaliza uma linguagem cênica que entrelaça as manifestações da cultura brasileira, da cultura africana e do teatro, é um espetáculo que se adapta a todo tipo de espaço, dialoga com todas as classes sociais, troca experiências, forma públicos e promove a divulgação e a valorização da cultura afro-brasileira.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção e interpretação – Iléa Ferraz
Texto: Thomas Bakk
Cenário: Iléa Ferraz
Figurino: Thaís Delgado
Músicos: Juninho (Rafael Duvale – percussão) e Samuel Ramos (trombone).
A ATRIZ
Iléa Ferraz
Atriz e cantora
Formada em 1983, pela escola de teatro Martins Pena, no Rio de Janeiro, Iléa Ferraz iniciu sua carreira em 1985, na minissérie “Tenda dos Milagres”. Dois anos depois, atuou em sua primeira novela, “Helena”, na Manchete, interpretando uma personagem que tinha seu nome, Iléa.
Viajou para a França para participar do festival de teatro de Avignon, depois Paris e Marseille, nas comemorações dos 200 anos da Revolução Francesa. Em 1989, foi escalada para uma nova minissérie na Globo: “Pacto de Sangue”.
Já em 1990, voltou à Manchete, para atuar em outra minissérie: “Mãe de Santo”. Em seguida, Iléa Ferraz ficou seis anos ausente das telas, até ser convocada por Walter Avancini, para atuar como a escrava Fátima, em “Xica da Silva”.
Em 2000, foi convidada para participar de um episódio de “Brava Gente”, na Globo: “O Casamento Enganoso”. Um ano depois, atuou na novela “A Padroeira”. Em 2002, atuou na novela “Desejos de Mulher”. Em teatro, Iléa dirigiu e atuou no monólogo “Cheiro da Feijoada”, onde interpretou sete personagens. Também atuou nos espetáculos “Ai Ai Brasil!”, “Uma Faca de Dois Legumes” e “Besouro Cordão de Ouro”.

CASIMIRA QUIETINHA

Grupo Mosay de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil
O enredo dramático cômico da peça revela-se em uma Casimira, adolescente de 12 anos, que habita algum lugar fora da nossa contemporaneidade, nos cafundós nordestinos de um tempo quase surreal. A donzela é cortejada, insistentemente, por Benjamim, um rapaz de 19 anos que a encontra por consequência do destino em sua pacata vida cotidiana do interior.
Depois de muita insistência, a menina parece ceder os galanteios do “caboquinho” apaixonado. O romance poderia seguir, naturalmente, se não fosse o controle das rédeas mantido pelo rude e grosseiro Zé Mourão, pai de Casimira. Este descobre o que seria o início do romance, num ato dos encontros às escondidas, do casal, que ocorrem debaixo de pés de pequis.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Autor: Waldílio Siso
Direção: Avelar Amorim
Elenco: Eristóteles Pegado, Roger Ribeiro, Edithe Rosa e Cláudia Amorim
Composição da Trilha Musical: Avelange Amorim
Cenário: Avelar Amorim
Iluminação: Pablo Erickson
Figurino: Avelar Amorim e Edithe Rosa
O GRUPO
Grupo Mosay de Teatro
Criado em 2003 através do processo de montagem de seu primeiro espetáculo; o texto infanto-juvenil: A LAGOA DO VAI OU RACHA de Autoria do Profº Paulo de Tarso Libório e Direção de Avelar Amorim. O grupo tinha em sua formação inicial atores já consagrados no cenário das artes cênicas de Teresina e tinha como sede as salas da Coordenação Cultural da UFPI. Desde a sua criação vários atores piauienses já contribuíram com suas experiências em algum trabalho no grupo. Seguindo a proposta da coletividade, onde a composição da obra pega o viés de um mosaico inserindo peças importantes, ou seja, essas peças seriam os atores participantes da obra, daí a escolha do nome MOSAY abreviando MOSAICO. Assim, cada trabalho montado é composto por atores do grupo somado aos convidados.
Desde a sua criação o Grupo já tem montado vários trabalhos, além de espetáculos como performances e pequenas esquetes.

O GULOSO MENTIROSO
Cia. Os Parodiantes da Ilha - São Tomé e Príncipe - África

Uma peça de autoria do escritor angolano José Mena Abrantes, que fala sobre um conto tradicional santomense sobre um casal de tartarugas, no qual o macho não respeita as tradições da Festa da santa Mukambá, levado pela gula. Este trabalho conta com a participação de uma cantora e um contador de estórias, cujos trabalhos serão feitos apenas numa das línguas maternas, a mais falada no país, a seguir ao Português, que é "Santomé", também conhecida por “Forro”. Ou seja, tanto a peça teatral, a estória e a música serão apresentadas na referida língua.

FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção Artística e Encenação: Ayres Veríssimo do Sacramento Major
Interpretação: Inocêncio Ferreira da Costa Lima, João da Conceição Sousa Taraveira (contador de estória), Marta Quaresma do Espirito Santo e Elsa Maria dos Santos Faustino (cantora).


TODO CAMBURÃO TEM UM POUCO DE NAVIO NEGREIRO
 

Associação Artística Nóis de Teatro – Fortaleza – Ceará – Brasil

O espetáculo conta a história de Natanael, uma espécie de anti-herói que nasceu na periferia. Dividido em três atos, a busca por uma construção dialética está bem acentuada nessa produção do Nóis. Narramos a saga de um negro que nasce numa situação muito comum a de muitos brasileiros, vive inserido num sistema de opressão e violência e, aos 18 anos, resolve entrar pra polícia militar. Trazemos uma dramaturgia épica, onde o ator narrador é o grande foco, numa espécie de “tragédia afro”, com elementos alegóricos e representativos do universo do movimento negro no Brasil num link direto de referência à mitologia dos Orixás.
FICHA ARTISTICA E TÉCNICA
Coordenação Geral: Altemar Di Monteiro
Direção: Murillo Ramos
Dramaturgia e Assistência de Direção: Altemar Di Monteiro
Elenco: Jefferson Saldanha, Doroteia Ferreira, Kelly Enne Saldanha, Altemar Di Monteiro, Henrique Gonzaga, Amanda Freire e Maurício Rodrigues
Contrarregragem: Bruno Sodré
Cenografia: Jefferson Saldanha
Figurino: Miguel Campelo
Bonecos: Carlos César
Adereços: Pádua Oliveira
Maquiagem: Kelly Enne Saldanha
Preparação Vocal: Danilo Souto
Preparação Canto: Juliana Veras
Produção: Nóis de Teatro
O GRUPO
O Nóis de Teatro é um grupo de teatro de rua existente desde 2002 na periferia de Fortaleza - CE. Nesses 13 anos, o grupo resiste em sua comunidade desenvolvendo projetos culturais no Território de Paz do Grande Bom Jardim tornando-se referência nacional de trabalho artístico desenvolvido em periferia.
Composto por artistas e ativistas em sua maioria negros, o Nóis carrega ampla experiência estética de luta social onde, a partir do olhar sobre a periferia da cidade, contrói uma relevante ação cultural no estado. A sede do grupo tem sido espaço de circulação e produção de bens culturais, lugar onde os 9 participantes realizam noites culturais, oficinas para a comunidade, além de produzir e distribuir a publicação mensal do Jornal “A Merdra”. Fortalecido em seu território, o Nóis tem ampliado suas atividades, participando de grandes mostras, encontros e festivais, com ações já realizadas em 18 estados brasileiros.
A pesquisa estética do grupo tem como matriz um olhar político sobre a sociedade, apoiando-se na poética democrática dos espaços públicos como lugar de encenação e descobertas. As vertentes do Teatro do Oprimido e do Teatro Épico Dialético e suas interfaces com a performance do ator de rua tem sido o mote para a sua construção poética, refletida no seu atual repertório de espetáculos: “A Granja”, “Quase Nada”, “Todo Camburão Tem Um Pouco de Navio Negreiro”, além das performances anuais da sua intervenção urbana “O Jardim das Flores de Plástico”.

A VIRADA DO JOGO 
Grupo de Teatro Lareira - Maputo – Moçambique - África
"Carijó", indignado e agastado com a situação desumana em que muitas mulheres ainda estão submetidas decide disfarçar-se de mulher doméstica  e junta-se a outra doméstica, a Eliza, para juntos desmascararem os seus patrões deputados e desta maneira virarem  este  jogo machista  egoísta e selvagem em relação as mulheres, mas o medo, o conformismo e a falta de conhecimento da Eliza atrapalham os planos da Carijó.
Na verdade “A Virada do Jogo” é o grito das mulheres em relação ao seu destino em pleno Século 21.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Grupo: Lareira Artes
Texto: Diaz Santana
Direção: Elliot Alex
Elenco: Zaina Rajá (Eliza/Dona Quilopita) e Diaz Santana (Carijó)
Agradecimentos:
Á Promarte /Maria Eliza Chin e GTO Moçambique (espaço de ensaio)
 Á MECWIDE MOÇAMBIQUE
 O GRUPO
Grupo de Teatro Lareira
O Grupo surgiu em finais de 2010 em Maputo - Moçambique, quando dois actores, Diaz Santana e Sérgio Mabombo decidiram unir-se para levar a arte de representar avante apesar  da marginalidade a que as  artes são relegadas no país e montaram a ‘‘A Cavaqueira do Poste″, do Sérgio Mabombo, sob a direcção do renomado actor e encenador Elliot Alex e pela jornalista sócio-cultural Rosa Langa.
Uma das grandes  dificuldades logo no início  foi conseguir o espaço para o ensaio, pessoal técnico para dar azo a este sonho uma vez que o grupo está desprovido de quaisquer meios para pagar estas despesas. Vários são os profissionais que responderam negativamente ao nosso pedido e tivemos que ser polivalentes, as dificuldades criaram em nós mais habilidades (coreografamos, cantamos, tocamos e auto-criticamo-nos, produzimos, ensaiamos nos nossos quartos de casa) somente o Elliot Alex  e a Rosa Langa graciaram-nos com o seu saber um na encenação e ela na imprensa, a quem o grupo  agradece infinitamente ″tamos juntos nessa camaradas″.
O grupo conta já com quatro obras ″A Cavaqueira do Poste″, ″Mentes e Sonhos″, ″A Nova  Aragem″  todas  do   membro  e  actor de Lareira   Artes, Sérgio Mabombo e  ″Cinzas Sobre as Mãos″ do francês Laurent Gaudé e tem vindo a representar condignamente Moçambique além fronteiras.

ANJO NEGRO


Grupo de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – Piauí – Brasil 

A proposta deste espetáculo é trazer não só a questão racial obviamente descrita, mas abrir uma discussão relacionada à purificação do ser humano através de sua (des) construção, instigando os pensamentos a uma análise inversa de si. O trabalho resulta de um processo voltado para a consciência do corpo, movimentos e limitações, pois através do trato com o próprio corpo passamos a amar o que está dentro dele, nós mesmos. O drama retrata profundamente a escuridão dos sentimentos, as dores íntimas de cada personagem (o flagelo da alma), a morbidez de quem deseja ser puro através daquilo que é genuinamente humano, a crueldade. Não se trata de uma busca por virtudes ou ascensões morais, mas de uma satisfação individual, daquilo que somos capazes de realizar para obtermos em sua forma mais pura o domínio sobre o outro, aquilo que se pode causar para demonstrar o quanto amamos ou odiamos uma pessoa, até sangrar.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Autor: Nelson Rodrigues
Diretor / Iluminador / Sonoplasta: Luciano Brandão
Elenco: Kaio Rodrigues (Ismael), Lanna Borges (Virginia), Ronyere Ferreira (Elias), Gleiciane Silva (Ana Maria), Clerys Derys (A Tia), Angélica Araújo (Hortência)
Produtor: Kaio Rodrigues            
O GRUPO
O Grupo de Teatro Procópio Ferreira, surgiu a partir da formação teatral de seus integrantes na Oficina de Permanente de Teatro Procópio Ferreira, que há quase 30 anos trabalha como ponto de partida, a iniciação e formação de novos atores para a cidade de Teresina. Dos trabalhos já realizados pela Oficina, os integrantes do grupo, segue sua pesquisa e seus trabalhos na obra de Nelson Rodrigues montando várias peças, como Dorotéia, A Mulher Sem Pecado, Perdoa-me por Me Traíres e atualmente o Grupo de Teatro Procópio Ferreira apresenta ao público, a peça Anjo Negro, sua primeira montagem na sua oficialização como um grupo.
Tendo como idealizador do grupo, o ator e diretor Luciano Brandão, que iniciou seus estudos em teatro em 1996, na Oficina Permanente de Teatro Procópio Ferreira, coordenada por Arimatan Martins, onde se formou depois de três anos como assistente de direção do espetáculo O Sonho de uma Noite de Verão (2000).
A montagem e direção de Luciano Brandão para o “Anjo Negro” é construída a partir da ideia implícita desta obra Rodrigueana de que, quando somos aprisionados por sentimentos de ódio, vingança, desafeto e traição, somos também chamados por forças que nos torturam e nos obrigam a buscar uma forma de purificação, que é tão somente interior.
O Grupo de Teatro Procópio Ferreira, pretende estender e desenvolver sua pesquisa utilizando-se de sua experiência para mapear o cenário cultural do estado do Piauí, desde a formação de atores até o resultado final, gerindo e participando ativamente das atividades realizadas pela então Oficina Permanente de Teatro Procópio Ferreira.

A CASA DE BERNARDA ALBA

Grupo Harém de Teatro Teresina – Piauí – Brasil


Bernarda Alba, personagem central do texto,  é uma matriarca dominadora que mantém as cinco filhas, Angústia, Madalena, Martírio, Amélia e Adela sob vigilância implacável, transformando a casa onde vivem em um pequeno povoado na Espanha, em um caldeirão de tensões prestes a explodir a qualquer momento.
Com a morte de seu segundo marido, Bernarda decretara um luto de oito anos e submete suas filhas à reclusão dentro das frias paredes de sua casa e das janelas cerradas. Duas das moças, porém, apaixonadas por  um mesmo galanteador das redondezas, um rapaz de vinte e cinco anos chamado Pepe Romano,  desencadeiam no meio daquele luto uma disputa cruel e perigosa para conquistarem o amor daquele mesmo homem, com conseqüências trágicas.
A construção central do drama de Lorca – a casa na qual uma família de mulheres solitárias é controlada por uma mãe centralizadora e tirânica – teria sido inspirada por uma família da pequena cidade granadina de Valderrubio, onde os pais do poeta tinham uma propriedade rural e conheceram certa Frasquita Alba, mãe de quatro filhas às quais comandava com mão de ferro e um homem de nome Pepe de la Romilla, que teria se casado com a filha mais velha de Frasquita por seu dote e, posteriormente, se envolvido com a mais jovem das irmãs. Dessa história real, Lorca apropriou-se da idéia de uma casa sem homens para compor o tema central de La Casa de Bernarda  Alba, qual seja o lugar da mulher na sociedade espanhola.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Autor: Federico Garcia Lorca       
Encenação e Dramaturgia: Arimatan Martins  
Elenco: Lari Salles (Bernarda), Francisco de Castro (La Poncia), Fernando Freitas (Martírio), Andressa Santos (Amélia), Bid Lima (Angústias), Tércia Ribeiro (Madalena), Luciano Brandão (Criada), Airton Martins (Maria José – mãe de Bernarda) e Mayra Sousa (Adela)
Iluminação: Assaí Campelo         
Cenografia: Emanuel de Andrade         
Louças de Cena: Fátima Campos          
Figurino: Bid Lima 
Projeto de Maquiagem: Kiko Moreira
Execução da Maquiagem: Ari Carvalho           
Costureiras (Curso de Figurinos do Ponto de Cultura Nos Trilhos do Teatro/Harém): Luisa  de  França,  Maria  José e Edite Rosa  
Projeto Gráfico: Paulo Moura      
Produção: Francisco Pellé          
Realização: Grupo Harém de Teatro
O GRUPO 
O Grupo Harém de Teatro conseguiu ao longo de mais de trinta anos celebrar resultados que se justificam não só pela prática saudável do exercício cênico, mas, especialmente, pelo planejada estratégia de sedimentar um histórico e uma memória para os autos do teatro brasileiro que reinventasse as formas do fazer teatral e definisse o homem no centro da cena. 
Dessa forma é que todos os processos de pesquisa e montagens do repertório de espetáculos do Grupo Harém mantiveram uma finalidade de propósitos de premiar autores locais, nacionais e por vezes internacionais, mas sempre considerando o fio do labirinto da linguagem universalizada à aldeia local, as escritas e falas da personagem aos desenhos dramatúrgicos em que o homem fosse sujeito do próprio discurso e se auto-reconhecesse como manipulador da própria arte de criação. 
Conseguiu assim sucessos absolutos com “Raimunda Pinto, sim Senhor!” (mais de treze prêmios em festivais nacionais e de melhor espetáculo de circulação pela FUNARTE), “O Auto do Lampião no Além”(3º. Melhor espetáculo do Festival de Teatro Brasileiro, em Erechim – RS e Prêmio do Mérito Lusófono para países de língua portuguesa no mundo), bem como outros trabalhos que acuidavam em preservar identidades e revalorizar as identificações da língua, linguagem, temas e falas da cena brasileira. 
O Harém tem em “Raimunda Pinto, Sim Senhor!” um dos melhores exemplos de resistência e permanência em cena de um espetáculo de teatro. Desde junho de 1992 vem se apresentando de forma sistemática e possibilitado ao público local e brasileiro um olhar significativo do discurso moderno da dramaturgia de tradição e ruptura que encontra eco de aproximação e recepção continuada em qualquer público de qualquer parte do Brasil percorrido. E, como estratégia de preservação desse espaço conquistado, busca abrir novas fronteiras de circulação. 
Entende o Grupo Harém de Teatro que a melhor invenção para a cena nacional está em aproximar culturas, visibilizar o exercício teatral manifestado, mas especialmente possibilitar o escambo de experiências em que indivíduos e sociedades reforcem razão e sensibilidade e se reconheçam na arte e cultura apropriadas.

MULHERES E LENDAS    


A e C Promoções Culturais – Parnaíba – Piauí - Brasil

Sublinha a alforria adiada das injustiças sociais, vocifera a desproporção dos gêneros em grito e lamúria, menos de fêmea, mais de besta, alegoriza a realidade dos excluídos para intensificar o vergonhoso brio do ente humano; o espetáculo não vai se despedir sem deixar a certeza de que a maior assombração é aquilo que nos assemelha aos fantasmas.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Dramaturgo: Aci Campelo
Intérprete-criadora e Direção: Carmem Carvalho
Intérprete-criadora, Criação de Luz: Érica Jamp
Direção, Preparação Vocal e Corporal, Criação de Luz e Trilha Sonora: Fernanda Veiga
Trilha Sonora e Operação de Áudio: José Coelho
Figurino, Caracterização e Sonoplastia: Sharles Nascimento
Técnico de Luz: Eduardo Souza
Fotografia: Mauro Ataíde

FIEIS

Grupo Cangaço de Teatro – Floriano – Piauí - Brasil
Um perfume que embriaga, mãos que acariciam, gestos que simbolizam amor e neste caso uma flor. O que você seria capaz de fazer por amor? Fidelidade existe? Fiéis retrata o grande amor familiar que ultrapassa as gerações unidas por uma única sina. Delineando esse intenso drama, os personagens acreditam que por serem perseguidos por esta sina, não haverá meios que a impeça de acontecer. O espetáculo traz a indagação sobre a fidelidade e até que ponto ela existe para que o amor familiar se fortaleça.
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Direção: Rosivaldo Olivetto
Autor: César Crispim
Elenco: Alexandre Brito, Everk Amorim,  Kassyo Leal, Rithely Moura
Figurino: Everk Amorim/Rosivaldo Olivetto
Cenário: Everk Amorim/Rosivaldo Olivetto
Iluminação: Alisson Rocha
Sonoplastia: Rosivaldo Olivetto
O GRUPO
O Grupo Cangaço de Teatro formado em 23 de Junho de 2003 com o objetivo de contribuir mais com a cultura do nosso município, montaram uma obra indicada para o vestibular, “Beira Rio, Beira Vida” de Assis Brasil. Em 2004 com o espetáculo em cartaz “Os cegos” texto grego de Michael Deguelderote adaptado pelo diretor do Grupo Cangaço de Teatro, representou o município de Floriano - PI no II festival de Picos – PI, que foi patrocinado pelo BNB de Cultura onde ganhou os seguintes prêmios: Melhor atriz, ator coadjuvante, cenário, maquiagem, direção, texto e melhor espetáculo. Com este mesmo espetáculo participamos do III Festival de Fronteira, onde voltamos a repetir a premiação. Em Quinze de Janeiro de 2005 estréia seu primeiro Espetáculo Infantil “O Espelho Encantado” que encantou crianças e adolescentes no município de Floriano, Picos e São João dos Patos - MA; participou do II festival de Picos – PI, onde Ganhou o Premio de Melhor Ator e melhor figurino. Em seguida estreou o espetáculo João e Maria, que foi premiado com melhor figurino, cenário e maquiagem. Estreou em 2008 o espetáculo Ruim com Bruxas Pior sem Elas, no Projeto Teatro Itinerante a Zona Rural, o Grupo Cangaço já foi aprovado cinco vezes na Lei de Incentivo Cultural do Município de Floriano – Lei Professor Moreira, participa também do Projeto Leitura Dramática do SESC – Regional de Floriano, hoje em dia conta as peças: o Gato Malhado e Andorinha Sinhá, texto de Jorge Amado, adaptado pelo próprio Grupo e O Circo de Seu Bolacha; conta também com as remontagens dos espetáculos O Espelho Encantado, onde recebeu indicações de melhor ator, atriz coadjuvante, melhor atriz e ator coadjuvante no IV Festival Nacional de Teatro em 2015; Os Cegos, onde já foi premiado com: Ator Revelação e Atriz Revelação e indicado a melhor sonoplastia do PI.

***********************************************************************



PROGRAMAÇÃO FestLuso 2015

THEATRO 4 DE SETEMBRO
Dia 24/agosto - (segunda-feira), às 20h – Um Bico Para Velhos Palhaços – Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil
Abertura Solene (após a programação do Theatro 4 de Setembro)
Show Musical Banda Vermelha - Espaço Cultural Osório Junior

Dia 25/agosto – (terça-feira), às 20h – Os sapatos que deixei pelo caminho – Teatro do Kaos – Cubatão - São Paulo – SP – Brasil
Dia 26/agosto – (quarta-feira), às 20h – Confissões – Companhia de Teatro Dadaísmo - Luanda/Angola
Dia 27/08 – (quinta-feira), às 20h – A Nova Aragem – co-produção Grupo de Teatro Lareira/Chão de Oliva - Maputo/Moçambique
Dia 28/agosto – (sexta-feira), às 20h – A Maior Flor e Outras Histórias Segundo José – Teatro Art’Imagem/ Porto – Portugal
Dia 29/agosto – (sábado), às 20h - E a cabeça tem de ficar? – Chão de Oliva – Companhia de Teatro de Sintra - Sintra/Portugal
Dia 30/agosto – (domingo), às 20h – A República dos Desvalidos – Grupo de Teatro Pesquisa (GRUTEPE) – Teresina – PI – Brasil

TEATRO DO BOI
Dia 27/agosto – (quinta-feira), 18h30 - Um Punhado de Terra – Art’Imagem/ Porto - Portugal
Dia 28/agosto – (sexta-feira), 18h30 – Exercício Sobre Medéia – Piauhy Estúdios das Artes –Teresina – PI – Brasil
Dia 29/agosto – (sábado), 18h30 – O Rouxinol e o Imperador – Elisa Vilaça - Macau/China
Dia 30/agosto – (domingo), 18h30 – HARU - A Primavera do Aprendiz Rapha Santacruz Produções Artísticas - Recife – PE – Brasil

TEATRO ESTAÇÃO
Dia 25/agosto – (terça-feira), às 23h – Sobre Borboletas – Grupo de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – PI – Brasil
Dia 26/agosto – (quarta-feira), às 23h – BORRADO [de como o tempo te revela] – A Outra Companhia de Teatro – Salvador – BA- Brasil
Dia 27/agosto – (quinta-feira), às 23h – Quando o Amor é Assim e não Assado – HUMANITAS - grupo de teatro – Timon – MA – Brasil
Dia 28/agosto – (sexta-feira), às 23h – Sofia-35 – Cia. Duplo – Rio de Janeiro/RJ – Parnaíba/PI – Brasil
Dia 29/agosto – (sábado), às 23h – QUOTIDIAMO: Esta não é uma estória de amor – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português IC – Pólo do Mindelo – Mindelo - Cabo Verde

MOSTRA TEATRO NA RUA
Dia 26/agosto – (quarta-feira), às 17h (fim de tarde) – Grupo Teatro de Caretas – Fortaleza – CE – Brasil
Local: Praça Pedro II
Dia 27/agosto – (quinta-feira), às 17h (fim de tarde) - A Flor do Mamulengo – Grupo Teatro de Bonecos Fantochito -  Teresina – PI – Brasil
Local: Praça Pedro II
Dia 28/agosto – (sexta-feira), às 17h (fim de tarde) - Deus Lhe Dê Em Dobro – Grupo Dragão 7, da Cooperativa de Trabalho de Artistas, Técnicos e Produtores em Artes Cênicas e Áudio Visuais do Estado de São Paulo – COOPERARTES - São Paulo – SP – Brasil
Local: Praça Pedro II

FestLuso TIMON
Local: Fundação Cidadania
Dia 26/agosto – (quarta-feira), às 17h - Deus Lhe Dê Em Dobro – Grupo Dragão 7 - São Paulo – SP – Brasil
Dia 28/agosto – (sexta-feira), 17h - HARU - A Primavera do Aprendiz Rapha Santacruz Produções Artísticas - Recife – PE – Brasil

PROGRAMA FORMATIVO (OFICINAS E PALESTRAS)

20 a 24/08 – (quinta a segunda feira), de 9h às 12h
Teatro de Rua – Grupo Caretas de Teatro de Rua (Fortaleza – CE – Brasil)
Práticas de rua. Performances, intervenções e pensamentos. Formas de habitar a cidade.

Local: Escola Técnica Estadual de Teatro José Gomes Campos


25 a 29/08 – (terça a sexta-feira), de 9h às 12h
Teatro Documentário: nem tudo é ficção - Luiz Antônio Sena Jr. (Salvador – BA – Brasil)
Local: Theatro 4 de Setembro (Sala de Oficinas)

25 a 28/08 – (de terça a sexta-feira), das 14h às 18h
Oficina: Voz em Gil Vicente
Ministrante: Daniela Pêgo e Flávio Hamilton - Teatro Art’Imagem- Porto/Portugal
Local: Theatro 4 de Setembro( Sala Oficina  Procópio Ferreira)

Nº de Participantes: 25 vagas

26/08 – (quarta-feira), às 10h - Projetos Vozes da Terra “As Marionetas Asiáticas Raízes Culturais”- Palestra com Elisa Vilaça (Macau – China) – Curadora do Museu de Marionetas de Macau
Local: Sala Torquato Neto


28/08 – ( Sexta –Feira) – Lançamento do Livro e Documentário: ABRINDO AS CORTINAS- O TEATRO COMO ESTRATEGIA DE ENSINO- Raimundo Dutra e Bid Lima(orgs.) – PARFOR/UESPI
Local: Café Genu Moraes – Theatro 4 de Setembro

Horário: 19:00

30/08 – (domingo), às 23h -  A Grande Festa
Em estréia mundial "A Grande Festa" é uma co-produção entre o FestLuso e o Teatro Extremo de Almada, Portugal. Uma performance multidisciplinar dirigida pelo diretor artístico do Teatro Extremo, Fernando Jorge Lopes, que conta com a participação de artistas Piauienses de várias disciplinas artísticas e promete oferecer, a partir da Declaração Universal dos Direitos Humanos, uma visão em fragmentos lúcidos e lúdicos do mundo contemporâneo.
Local: Teatro Estação – Espaço Cultural Trilhos

SALA TORQUATO NETO - Complexo Cultural Theatro 4 de Setembro
Dia 28/agosto – (sexta-feira), às 10h – Encontro dos Diretores Lusófonos

SHOWS MUSICAIS – ESPAÇO CULTURAL TRILHOS
* Início dos shows após a Programação do Teatro Estação
25/08 - (terça-feira), a partir de 00h* - Gonzaga Lu
26/08 - (quarta-feira), a partir de 00h* - Conjunto Roque Moreira
27/08 - (quinta-feira), a partir de 00h* - Moisés Chaves/Batuque Elétrico
28/08 - (sexta-feira), a partir de 00h* - Uns Pereira da Silva/Bia e os Becks
29/08 - (sábado), a partir de 00h* - Recanto (Portugal)/Cochá



=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X

FestLuso 2013


PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL DE TEATRO LUSÓFONO – FestLuso 2013.

Dia 26/08 (segunda-feira) - 19h
ABERTURA SOLENE DO FESTLUSO 2013
Local: Galeria do Club dos Diários

THEATRO 4 DE SETEMBRO
Dia 26/08 - (segunda-feira) - 20h30
Inferno na Paisagem Belga – Companhia de Teatro Os Satyros – São Paulo – SP – Brasil
Dia 27/08 - (terça–feira) - 20h30
Salamaleque – Teatro Extremo – Almada – Portugal
Dia 28/08 - (quarta-feira) - 20h30
A Órfã do Rei – Grupo Teatral Henrique Artes – Luanda – Angola
Dia 29/08 - (quinta-feira) - 20h30
Há Tigres no Gongo? – Grupo de Teatro Mutumbela Gogo – Maputo – Moçambique
Dia 30/08 - (sexta–feira) - 20h30
O Medo Azul - Quinta Parede/Grupo Cassefaz – Portugal
Dia 31/08 - (sábado)
19h - Abrigo São Loucas – Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI - Brasil
21h - Pão com Ovo – Companhia Santa Ignorância Cia. de Artes – São Luís – MA – Brasil

TEATRO DO BOI
Dia 27/08 - (terça-feira) - 19h
Desespero - Grupo de Teatro do Centro Cultural do Mindelo – São Vicente – Cabo Verde
Dia 28/08 - (quarta-feira) - 19h
Expedição AbraCASAbra - Mágico Rapha Santacruz – Recife – PE - Brasil
Dia 29/08 - (quinta-feira) - 19h
Salamaleque – Teatro Extremo – Almada – Portugal
Dia 30/08 - (sexta–feira)
10h - Boa Noite Cinderela – Companhia A.S.S. de Dança e Teatro - Teresina – PI – Brasil
19h - Frente a Frente com Deus - Grupo Cultural da Universidade São Tomas de Moçambique Panfectas USTM - Moçambique
Dia 31/08 - (sábado) – 17h
Musical Pink – Companhia de Teatro da Tribo – Teresina – PI - Piauí

TEATRO ESTAÇÃO
Dia 27/08 - (terça–feira) - 23h
Apareceu a Margarida – Grupo Mosay de Teatro – Teresina – PI – Brasil
Dia 28/08 - (quarta–feira) - 23h
“O Teatro” de Emma Santos – Grupo de Teatro o Grito - Almada - Portugal
Dia 29/08 - (quinta–feira) - 23h
Os Sobreviventes – Oficina Permanente de Teatro Procópio Ferreira - Teresina – PI - Brasil
Dia 30/08 - (sexta–feira) - 23h
Enquanto Shakespeare Não Vem – Grupo Cordão de Teatro – Açailândia – MA – Brasil

TEATRO NA RUA
PRAÇA PEDRO II
Dia 29/08 - (quinta–feira) - 17h
Red Chocolate - Enano Torres Free Artist - Street Clown – Lisboa/Madri – Portugal/ Espanha

OFICINAS/ WORKSHOP
Oficina de Figurinos
Ministrante: Chico Coimbra – Maranhão – MA - Brasil
Período: 27 a 30/08 - (terça a quinta-feira)
Local: Galpão II – Espaço Cultural Trilhos
Horário: 9h às 13h

Oficina de Clown
Em Busca do Nosso Próprio Palhaço
Ministrante: Enano Torres – Lisboa/Madrid
Período: 27 a 29/08 - (terça a quinta-feira)
Local: Escola de Teatro Professor Gomes Campos
Horário: 9h às 13h

Workshop de Magicas
Ministrante: Rapha Santacruz - Recife – PE - Brasil
Dia: 27/08 - (terça-feira)
Local: Casa da Cultura
Horário: 14h às 17h

Dia 28/08 - (quarta-feira)
SEMINÁRIOS DO TEATRO AFRO-BRASILEIRO
Teatro Experimental do Negro no Brasil e Movimentos Teatrais nos PALOP
Ministrante: Fernando Leão – Fortaleza – CE - Brasil
Local: Sala: Torquato Neto
Horário: de 9h às 12h e de 14h às 17h30

LANÇAMENTOS DE LIVROS
Dia 27/08 - (terça-feira) - 19h - Galeria do Clube dos Diários
Identidades e Diversidade Cultural: patrimônio arqueológico e antropológico do Piauí-Brasil e do Alto Ribatejo-Portugal
Autores (as): assinam a face – Brasil as organizadoras Marleide Lins e Síria Borges e a face – Portugal, Síria Borges e Luiz Oosterbeek.

Dia 30/08 - (sexta-feira) - 22h - Bar do Theatro  4 de Setembro
40 Anos de Teatro de José Caldas - Portugal

SHOWS MUSICAIS
- Espaço Cultural Osório Jr. / Club dos Diários
Dia 26/08 - (segunda-feira) – 23h
Velha Gaiteira – Castelo Branco – Portugal

- Espaço Cultural Trilhos
Dia 27/08 - (terça-feira) – 00h
Os Caiporas – Teresina/Brasil
Dia 28/07 - (quarta-feira) - 00h
Ana Virginia e Banda
Dia 29/08 - (quinta-feira) – 00h
Narguilé Hidromecânico – Teresina – PI - Brasil
Dia 30/08 - (sexta-feira) - 00h
Lado Blues – Teresina – PI - Brasil
Dia 31/08 - (sábado) - 00h
Festa da Lusofonia – com Full Reggae – Teresina – PI - Brasil

ENCONTRO DE DIRETORES LUSOFONOS
Dia 31/08 – (sábado) - 10h – Sala Torquato Neto – Complexo Club dos Diários/Theatro 4 de Setembro

AÇÃO SOCIAL
Dia 30/08 (sexta-feira) – 10h - Hospital Infantil Lucídio Portela
Os Remédios do Riso – com os Doutores Palhaços – Dr. Alta-Mente e Dr. Nano Sirene.


=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=

FestLuso 2011

PROGRAMAÇÃO FestLuso 2011

1.    THEATRO 4 DE SETEMBRO
22 de Agosto – Segunda-feira
20h30 - SOLENIDADE DE ABERTURA OFICIAL DO FESTIVAL DE TEATRO LUSÓFONO – FESTLUSO – 2011
Local: Galeria do Club dos Diários
21h - OLIMIAS  - Companhia de Teatro Dadaísta – Luanda – Angola
Local: Theatro 4 de Setembro
23 de Agosto – Terça-feira
21h - MARIA CURIE – Teatro Extremo – Almada – Portugal
24 de Agosto - Quarta-feira
21h - CINZAS SOBRE AS MÃOS – Grupo de Teatro LAREIRA – Maputo – Moçambique
25 de Agosto - Quinta-feira
21h - ANTENOR E O BOIZINHO VOADOR –  João Andirá – Curitiba – Paraná
26 de Agosto – Sexta-feira
21h - DESABAFO – Grupo Teatral Craq’ Otochod – Ilha de São Vicente – Cabo Verde
27 de Agosto – Sábado
21h - MATADOURO -  Marcelo Evelin / Demolition Inc + Núcleo do Dirceu  – Teresina-Piauí
28 de Agosto – Domingo
17h - O PRINCIPE DA FLORESTA – Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí

2.    TEATRO MUNICIPAL JOÃO PAULO II – Dirceu Arcoverde
23 de Agosto – Terça-feira
18h30 - APARECEU A MARGARIDA - Grupo Mosay de Teatro – Teresina – Piauí
24 de Agosto - Quarta-feira
18h30 - DESABAFO – Grupo Teatral Craq’ Otochod – Ilha de São Vicente – Cabo Verde
25 de Agosto - Quinta-feira
18h30 - OLIMIAS - Companhia de Teatro Dadaísta – Luanda – Angola
26 de Agosto - Sexta-feira
18h30 - MARIA CURIE – Teatro Extremo – Almada –Portugal
27 de Agosto – Sábado
18h30 – ANTENOR E O BOIZINHO VOADOR – João Andirá – Curitiba – Paraná

3.    TEATRO ESTAÇÃO
22 de Agosto – Segunda-feira
23h - APARECEU A MARGARIDA – Cia. de Dramas e Comédias - Teresina – Piauí
23 de Agosto – Terça-feira
23h - SOL SANGUÍNEO – Grupo Indigentes de Teatro – Timon – MA
24 de Agosto – Quarta-feira
23h – MEU ÚLTIMO AMOR ACABOU ANTES DE ONTEM – Grupo Humanista de Teatro – Timom-MA
25 de Agosto – Quinta-feira
23h - PAI & FILHO – Pequena Companhia de Teatro – São Luís – Maranhão
26 de Agosto – Sexta-feira
21 e 23h - PAI & FILHO – Pequena Companhia de Teatro – São Luís – Maranhão
27 de Agosto – Sábado
23h – MAR ME QUER – A Outra Companhia de Teatro – Salvador – Bahia

4. ESPAÇO CULTURAL TRILHOS
·    22 de Agosto - Segunda-feira
00h – Show Musical – AMARELO CAJUINA
·    23 de Agosto -  Terça-feira
20h – Roda de Poesia & Tambores
 - Lançamento da Revista Roda de Poesia & Tambores 2
 - Lançamento do livro Lançamento do Livro “Cinco Tempos em Cinco Textos” de Marcelo Flecha-MA
  - Show Musical Ópera dos Malungos
·    24 de Agosto - 00h - Quarta-feira
 Show Musical  Banda Validuaté
·    25 de Agosto - 00h – Quinta-feira
There Groove
·    26 de Agosto - 00h - Sexta-feira
 Noite dos D´js
·    27 de Agosto - 00h – Sábado
 Show Musical Samba no Coreto

5.    OFICINAS
23 a 25 de Agosto (de Terça a Quinta-feira)
09h às 13h – Ateliê: Direção de Atores
Minitrante: Helder Costa – Lisboa – Portugal
Local: Casa da Cultura
23 a 26 de Agosto – (de Terça a Sexta-feira)
14h às 17h – Oficina: Interpretação para Atores
Ministrante: Silvio Zibber – São Paulo – SP
Local: Escola de Teatro Gomes Campos
25 a 27  de Agosto (de Terça a Sexta-feira)
14h às 18h – Oficina: O Quadro de Antagônicos como Instrumento de Treinamento para o Ator
Ministrante: Marcelo Flecha – São Luis – MA
Local: Casa da Cultura
23 a 26 de Agosto (de Terça a Sexta-feira)
9h às 13h – Oficina: Teatro de Formas Animadas
Ministrante: João Andirá – Curitiba – PR
Local: Theatro 4 de Setembro

6 - MOSTRA DE TEATRO DE RUA
24 de Agosto - Quarta-feira
17h – REMENDO REMENDÓ – A Outra Companhia de Teatro – Salvador – BA
Local: Praça Pedro II
26 de Agosto – Sexta-feira
17h – DONA FLOR E SEU ÚNICO FUTURO MARIDO – Grupo Sinos de Teatro de Rua - Teresina – Piauí
Local: Pátio do Teatro Municipal João Paulo II (Dirceu Arcoverde)

 7 -  SALA TORQUATO NETO
Dia 27 de Agosto – Sábado
10h -  ENCONTRO DE DIRETORES LUSÓFONOS


=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=

FestLuso 2010







PROGRAMAÇÃO GERAL 2010.

1.   THEATRO 4 DE SETEMBRO
15/novembro - 19h - segunda-feira
SOLENIDADE DE ABERTURA OFICIAL DO FESTIVAL DE TEATRO LUSÓFONO – FESTLUSO - 2010 e ABERTURA DO II ENCONTRO INTERNACIONAL SOBRE POLÍTICAS DE INTERCÂMBIOS NA CPLP.

20h30m - segunda-feira
AS TRAÇAS DA PAIXÃO – Manhas e Manias de Eventos – Rio de Janeiro – Brasil.
É uma peça que conjuga uma linguagem de sabor popular, bem brasileira, com altas doses de poesia e visualidade. A encenação do texto leva dois aspectos em consideração. Do ponto de vista da atuação, Lucélia Santos (Marivalda Revólver) e Maurício Machado (Paco) têm uma comunicabilidade imediata com a platéia. A pistoleira, dona de boteco e o malandro são tipos extremamente identificáveis, cheios de comicidade, e aí reside o seu maior apelo aos olhos do público.
Por outro lado, temos as inúmeras referências à história (a princesa Anastácia, única herdeira dos Romanov) e ao teatro (Tchekhov, Sófocles). Esses elementos dão um tom de elevação poética e ressonância semântica que se fricciona ao tom popular já mencionado. Com certeza, essa elaboração de linguagem valoriza, como fonte de envolvimento, a sensibilidade da platéia.
O espetáculo é popular, comunicativo, engraçado, vivo, mas também formalmente elaborado, visualmente instigante e carregado de poesia.
Ficha Artística e Técnica
Autor: Alcides Nogueira
Encenação: Marco Antonio Braz
Elenco: Lucélia Santos & Maurício Machado
Trilha Musical: Tunica
Cenário e Figurinos: Juliana Fernandes
Criação de Luz: Roberto Cohen
Programação Visual: André Moia
Visagismo: Mario Campiolli
Fotografias: Lenise Pinheiro
Assistência de Direção: Breno Sanches
Assessoria de Imprensa/SP: Manoel Carlos Jr.
Produção Executiva/SP: Daniella Angelloti e João Roncatto
Assistência de produção: Luciano Sevla
Administração: Reinaldo Galvão
Produção Executiva/Rio: Reinaldo Galvão e Henrique Menezes
Direção de Produção: Eduardo Figueiredo
Realização: Manhas
Duração: 65 min. Não recomendado para menores de: 14 anos. Gênero: tragicomédia.

16/novembro – 20h30m - terça-feira
A DESCOBERTA DAS AMÉRICAS – Julio Adrião Produções Artísticas – Rio de Janeiro – Brasil.
É a outra história da descoberta das Américas, inspirada em fatos reais que ocorreram na Flórida e foram contados pelo cronista Cabeça de Vaca. Mas a história poderia ser bem daqui, da terra brasileira.
Acontece que um Zé ninguém chamado Johan, rústico, malandro e fanfarrão, que se vira contando vantagens, sempre em fuga da fogueira da Inquisição, embarca em Sevilha numa das Caravelas de Cristóvão Colombo. No Novo Mundo, o nosso herói sobrevive a um naufrágio; testemunha a matança; aprende a língua dos nativos; é preso, escravizado e quase engolido pelos índios antropófagos. Safa-se fazendo “milagres” com alguma técnica e uma boa dose de sorte. Venerado como Filho da Lua, ele treina, catequiza e guia os índios num exército de libertação que acaba caçando os espanhóis invasores.
Ficha Artística e Técnica
Texto original: Dario Fo
Tradução e adaptação: Alessandra Vannucci e Julio Adrião
Direção: Alessandra Vannucci
Performance: Julio Adrião
Iluminação: Luiz André Alvim
Figurino: Priscilla Duarte
Projeto Gráfico: As Duas criação e produção de arte
Fotografias: Maria Elisa Franco
Assessoria de Imprensa: Mônica Riani
Produção Executiva : Thais Teixeira
Produção e  Administração: Julio Adrião Produções Artísticas Ltda.
Realização: leões de circo pequenos empreendimentos
Duração: 90 min. Não recomendado para menores de: 14 anos. Gênero: comédia.

17/novembro – 20h30m - quarta-feira
O FALAR NON TEN CANCELAS - Cándido Pazó – Galiza – Espanha.
Um espetáculo oral, uma coleção de contos, histórias e narração. Um monólogo cômico que tem a palavra como principal recurso, um produto cênico baseado no humor, mas com a imaginação, a ternura, a evocação e memória como ingredientes essenciais.
Ficha Artística e Técnica
Intérprete: Cándido Pazó
Duração: 70 min. Não recomendado para menores de: livre.   Gênero: comédia (histórias, contos, humor, monólogos...)

18/novembro – 20h30m - quinta-feira
A CAVAQUEIRA DO POSTE – Grupo de Teatro Mutxeco – Maputo – Moçambique.
Sonhadores! Os sociólogos sempre procuraram duas coisas: as leis do social e as reformas das sociedades. Cá por mim busco bem pouco: tirar a casca dos fenómenos e tentar perceber a alma dos gomos sociais sem esquecer que o mais difícil é compreender a casca. Nesta peça encontrareis um pouco de tudo: sociologia (em especial uma sociologia de intervenção rápida), filosofia, dia-a-dia, profundidade, superficialidade, ironia, poesia, fragilidade, força, mito, desnudamento de mitos, emoção e razão.
A crise financeira no mundo é consequência da idolatria do dinheiro e do poder, manifestada numa cadeia de corrupção de funcionários ávidos de ter mais, e que, pura e simplesmente, não cumpriram sua função à cabalidade.
 Ficha Artística e Técnica
Texto: Sérgio Mabombo
Encenação: Elliot Alex
Elenco: Sérgio Mabombo e Diaz Santana
Produção: Grupo de Teatro MUTXECO
Produção Executiva: Leonel Mendes e Célia Ruth
Luz, Som e Cenografia: Nelson
Vídeo e Imagem: Nelson Mondlane
Foto e Graphic Designer: Elliot Alex
Apoios: Rosa Langa, Centro Cultural Franco Moçambicano-CCFM e Félix Tinga.
Duração: 60 min. Não recomendado para menores de: 12 anos. Gênero: (qual mesmo?)

19/novembro – sexta-feira
10h O TAMANHO DA MINHA ALTURA - Cia. Gato Que Ladra – Lisboa – Portugal.
Qual deverá ser o tamanho certo para chegar ao botão do 5º andar do elevador
do meu prédio?
Quantos centímetros são necessários para chegar até as estrelas?
Quantas polegadas serão precisas até que fique com os cabelos em pé como os meus pais?
Quantos milímetros me faltam para conhecer cada canto do mundo?
Quantas são as milhas que me separam da sabedoria da minha avó (ela que conhece uma pessoa com nome de Pessoa)?
Qual é o verdadeiro tamanho da minha altura?
Eu sou o José Maria e só com o bico de um lápis é que chego ao botão que me leva até casa. Pode parecer que sou pequeno, mas também é com esse lápis que chego às estrelas. E de lá consigo ver o nosso planeta e fazer viagens fabulosas.
Não é Fantástico?
Ficha Artística e Técnica
Texto: Suzana Ramos
Ilustrações: Marta Neto
Adaptação e Encenação: Maria João Miguel
Elenco: Sílvia Figueiredo e Pedro Luzindro
Música: Diogo Branco
Cenografia: João Limpinho
Desenho de Luz: Alexandre Costa
Diretor Técnico: Nuno Gomes
Produção: Gato Que Ladra, Associação Cultural
Duração: 50 min., aproximadamente. Não recomendado para menores de: livre. Gênero: infantil.

20h30m – NEGRO DE ESTIMAÇÃO Kleber Lourenço – Recife – Pernambuco – Brasil
O Roteiro do espetáculo se desenrola partindo do estudo da ação dramática existente nos contos adaptados do livro Contos Negreiros, do escritor Marcelino Freire e no discurso do corpo negro e híbrido do intérprete.
Durante cinqüenta e cinco minutos de espetáculo, vão se revelando quadros que mostram a evolução do corpo negro desde as informações históricas aos questionamentos atuais. O corpo se desdobra em personagens que contam suas estórias e em movimentos fragmentados do universo das manifestações populares.
A dramaturgia do espetáculo é construída a partir do movimento dos corpos cotidianos e míticos, das danças e rituais do candomblé, traçando um paralelo entre a cena artística e a ritualística. Uma pesquisa nos estados corporais do intérprete.
Ficha Artística e Técnica
Criação e interpretação: Kleber Lourenço.
Co-direção: Marcondes Lima
Adaptação do livro Contos Negreiros, de Marcelino Freire
Figurinos: Luciano Pontes
Cenografia: Bruno Vilela
Cenotécnico: Almir Negreiros
Trilha Sonora Original: Zé Guilherme (Missionário José)
Criação e Operação de Luz: Luciana Raposo
Operação de Som: José Neto
Produção Executiva: Daniela Azevedo
Realização: Visível Núcleo de Criação
Duração: 55 min. Não recomendado para menores de: 16 anos. Estilo: solo de teatro/dança.

20/novembro – sábado
10h SENHOR REI, SENHORA RAINHA - Grupo Raízes de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil.
É um infantil, de Benjamin Santos, que conduz o público de todas as idades ao país das cartas, onde o jogo teatral está contido num histórico de amor entre dois jovens de reinados inimigos. De um lado o Rei orgulhoso de espadas, do outro a orgulhosa Rainha de Copas.
Ficha Artística e Técnica
Autor: Benjamin Santos
Direção e Sonoplastia: Lorena Campelo
Elenco: Marina Marques, Elizânio Pedro, Kelly Campelo, Edite Rosa, Rosemary Santos, Nathália Chaves e Kristina Pillar              
Músicas: Agenor Abreu
Coreografia: O Grupo
Desenho de Luz: Assaí Campelo
Operador de Luz: Assaí Campelo
Operador de Som: Lorena Campelo
Contrarregra: Jura Rios
Cenário e Figurino: Wilson Costa
Costureira: Edite Rosa
Maquiagem: Marina Marques
Produção Executiva: Lorena Campelo e Marina Marques
Realização: Grupo Raizes de Teatro
Duração: 40 min. Infanto-juvenil.   Gênero: comédia.

20h30m - HOTEL KOMARCA – Grupo Teatral Henrique Artes – Luanda – Angola
Hotel Komarka é uma peça que retrata a vida de 7 presos dentro de uma cela, um espetáculo cheio de humor e aventura, medos e sonhos onde o maior desejo é fugirem da sela, a realidades dura de uma sociedade na visão destes homens que acima e além de tudo assumem-se inocentes por tudo aquilo que eles viveram em suas vidas no mundo do crime.
Ficha Artística e Técnica
Texto: Flávio Ferrão
Encenação/Direção Artística/Dramaturgia: Flávio Ferrão
Elenco: Suelma Mario, Ailton Silvério, José Maria Fernandes, Adilson Vunge, Raul Lourenço, Samuel de Jesus, Benjamim Ferrão, Helio Taveira, Meury Silva e Tânia Burity
Assistente de Direção: Meury Silva
Diretora de Imagem: Tânia Burity
Cenografia: Faustino Vunge
Musica Original: Ritmos de Angola
Duração: 100 min. Não recomendado para menores de: 18 anos. Gênero: Melodrama.

21/novembro – domingo
10hO CAVALO TRANSPARENTE – Santa Ignorância Cia. de Artes – São Luis – MA – Brasil
O espetáculo é um musical, ao vivo, e começa com um misterioso sumiço que a cigana Carmem precisa desvendar.  Carmelita perdeu seu vidrinho, onde guardava toda a tristeza do mundo.  Ela recebe ajuda do Cavaleiro Montaria que monta um cavalo invisível, chamado Rocinante, ambos se aventuram pelo mar, andam sobre as ondas. Passaram pela Gruta dos Ecos, falaram com a ilha deserta, encontram Netuno e a sereia e vivem inúmeros mistérios. Mas o cavalo também desaparece e o objeto perdido, como achar? 
Ficha Artística e Técnica
Texto: Silvya Orthof
Direção Geral: o Grupo
Elenco: Rosa Ewerton, César Boaes e Lauande Aires
Figurino: Chico Coimbra
Cenário: o grupo
Luz: Eleomar Cardoso
Composições e Direção Musical: Lauande Aires
Arranjos e instrumentação: Francisco Jará
Fotos: Paulo Socha
Duração: (?). Não recomendado para menores de: livre. Gênero: infantil.

20h30m - QUANDO AS MÁQUINAS PARAM – Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil / Teatro Extremo – Almada – Portugal.
Zé e Nina. Eles são jovens e se amam. Zé gosta muito de futebol, joga pelada com a garotada da rua e é torcedor fanático. Nina adora novelas. Juntos já conseguiram algumas vitórias: casaram, alugaram uma casa, pensam em ter filhos. Formam um casal feliz. Ela costura para fora. Ele é operário. Tudo parece perfeito, porém um dia Zé perde o emprego. E agora? Zé e Nina são apenas dois, mas representam milhões.
“Quando as Máquinas Param” é o único texto de Plínio Marcos que apresenta uma história de amor sem marginais e submundo. No entanto, aponta a marginalidade a que está condenado o homem comum.
Ficha Artística e Técnica
Texto: Plínio Marcos
Encenação: Fernando Jorge Lopes
Interpretação: Bid Lima e Francisco Pellé
Iluminação/Desenho de Luz: Celestino Verdades
Assistência e operação de iluminação: Assaí Campelo
Sonoplastia/Banda Sonora: José Dantas
Cenografia: Gualberto Júnior
Figurinos: Bid Lima
Consultoria dramatúrgica: Arimatan Martins
Assistência de encenação: Flavia Letícia e Naruna Brito
Projeto gráfico: Chico Fialho
Fotos: Margareth Leite
Confecção de cenário: Edmar Aquino
Corpo e movimento: Fernando Freitas
Confecção de figurinos: Edite Rosa, Maria José, Luiza de França e Regina Lúcia
Locuções: Sidney Santos e Bené Reis
Vozes das crianças: Lorenzo Vieira e Caio César
Assessoria de Imprensa: Naruna Brito
Produção: Francisco Pellé e Sofia Oliveira
Assistente de produção: Janaína Alves
Duração: 50 min. Não recomendado para menores de: 16 anos. Gênero: drama.

2.   MUSEU DO PIAUI
16/novembro - terça-feira
II Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbios na CPLP
10h às 12h30m - Mesa-redonda
I. Festivais de Teatro e circulação de espetáculos: o encontro como base para o conhecimento.
14h30m às 17h30m - Mesa-redonda
II. Formação cruzada: enriquecer com a diversidade.

17/novembro - quarta-feira
II Encontro Internacional Sobre Políticas de Intercâmbios na CPLP
10h às 12h30m - Mesa-redonda
III. Co-produções: juntar forças e diferenças.              
14h30m às 17h30m - Debate
IV.  Comunidade Artística e Poder Político: fórmulas para o diálogo.

2.1         SALA TORQUATO NETO
20/novembro – 10h – sábado
Encontro de Diretores Lusófonos


3.   TEATRO MUNICIPAL JOÃO II – Dirceu Arcoverde
16/novembro – 18h30m - terça-feira
A BIRRA DO MORTO – Projeto Teatral Odisséia - Luanda – Angola.
Trata-se da vida de um homem de classe média alta que depois de seu médico diagnosticar a sua morte, o mesmo aparece dizendo que não está morto e que o seu médico errou no diagnóstico. A verdade é que o senhor morto tem medo de ser enterrado. Mas a realidade é que todo morto deve ser enterrado. Agora ele está ou não está morto? Deve ou não deve ser enterrado?
Ficha Artística e Técnica
Elenco: Alfredo Bula e Emílio Lucombo
Preparador Físico: Emílio Lucombo
Duração: 50 min. Não recomendado para menores de: 18 anos. Gênero: comédia.

17/novembro – 18h30m - quarta-feira
A CIDADE SUBSTITUÍDA – Grupo de Teatro Indigentes – Timon – MA – Brasil.
Montado a partir do livro de poemas homônimo de H. Dobal, traz à cena reflexões sobre a memória perdida dos antigos casarões da velha São Luís em favor de uma cidade moderna que arrebata de forma avassaladora a memória ludovicense.
A dramaturgia foi construída tendo como gancho a busca da manutenção da memória do passado histórico da cidade de São Luís por um grupo de brincantes, que surge em cena dançando e tocando ritmos da cultura maranhense, notadamente Bumba meu boi, Tambor de crioula e Baião. Os ritmos se alternam, se misturam e se dissipam no ar e aos poucos os espaços desta cidade abandonada vão tomando forma.
Ficha Artística e Técnica
Texto: Poesias do livro A cidade substituída e a poesia Infância do livro O tempo conseqüente – autor H. Dobal
Dramaturgia e Direção: Vitorino Rodrigues
Elenco: Jerônimo Macedo, Flávia Souza, José Dantas, Giselle Morais e Hialyson Rafael
Criação de figurinos, cenário e adereços: Wilson Costa
Laboratório de Musicalização: Abu
Iluminador: Ricardo Sousa
Duração: 35 min. Não recomendado para menores de: 12 anos. Gênero: drama.

18/novembro – 18h30m - quinta-feira
O FALAR NON TEM CANCELAS - Abrapalabra Creacións Escénicas – Galicia – Espanha.
Um espetáculo oral, uma coleção de contos, histórias e narração. Um monólogo cômico que tem a palavra como principal recurso, um produto cênico baseado no humor, mas com a imaginação, a ternura, a evocação e memória como ingredientes essenciais.
Ficha Artística e Técnica
Interprete: Cándido Pazó
Duração: 70 min. Não recomendado para menores de: livre. Gênero: comédia (histórias, contos, humor, monólogos...)

19/novembro – 18h30m - sexta-feira
APARECEU A MARGARIDA – Grupo Mosay de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil.
Escrita em 1974, Apareceu a Margarida, de Roberto Athayde ficou consagrada como uma alegoria da ditadura militar, com sua personagem-título tirânica e obcecada pelo poder. Controladora, alucinada e contraditória, dona Margarida é uma das criações femininas mais cobiçadas do teatro nacional.
O autor constrói uma imagem cênica pessoal e original em que a metáfora do poder se encarna em Dona Margarida, professora primária, que quer educar seus alunos segundo métodos autoritários e bastante violentos.
O espetáculo não é uma peça sobre educação e nem tampouco sobre a solidão da personagem, apesar desses elementos surgirem no texto; o espetáculo é uma sátira política e social puramente estruturado com a comédia.
Ficha Artística e Técnica
Direção: Avelar Amorim
Elenco: Adriana Campelo, Edite Rosa e Rahy Fernandes
Maquiagem: Samuel Márlio
Sonoplastia: Avelange Amorim
Contrarregra: Pedro Neto
Duração: (?). Não recomendado para menores de (?). Gênero: comédia.

20/novembro – 18h30m – sábado
A CAVAQUEIRA DO POSTE - Grupo de Teatro Mutxeco - MaputoMoçambique.
Sonhadores! Os sociólogos sempre procuraram duas coisas: as leis do social e as reformas das sociedades. Cá por mim busco bem pouco: tirar a casca dos fenómenos e tentar perceber a alma dos gomos sociais sem esquecer que o mais difícil é compreender a casca. Nesta peça encontrareis um pouco de tudo: sociologia (em especial uma sociologia de intervenção rápida), filosofia, dia-a-dia, profundidade, superficialidade, ironia, poesia, fragilidade, força, mito, desnudamento de mitos, emoção e razão.
A crise financeira no mundo é consequência da idolatria do dinheiro e do poder, manifestada numa cadeia de corrupção de funcionários ávidos de ter mais, e que, pura e simplesmente, não cumpriram sua função à cabalidade.
 Ficha Artística e Técnica
Texto: Sérgio Mabombo
Encenação: Elliot Alex
Elenco: Sérgio Mabombo e Diaz Santana
Produção: Grupo de Teatro MUTXECO
Produção Executiva: Leonel Mendes e Célia Ruth
Luz, Som e Cenografia: Nelson
Vídeo e Imagem: Nelson Mondlane
Foto e Graphic Designer: Elliot Alex
Apoios: Rosa Langa, Centro Cultural Franco Moçambicano-CCFM e Félix Tinga.
Duração: 60 min. Não recomendado para menores de: 12 anos.  Gênero: (qual mesmo?)


4.   TEATRO ESTAÇÃO
15/novembro – 23h - segunda-feira
ÂNGELA – Oficina de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – PI – Brasil.
Na montagem, a história de uma mulher que mais parece ser uma personagem criada como protagonista de uma história sobre si mesma. Tornando-se a própria idealização do outro, em si, mas tirando seus desejos e pensamentos do imaginário e colocando a tona no labirinto de descobertas e devaneios, onde a realidade e o mito se transfiguram na alegoria da sua existência. Ela representa o não-ser deste homem ou o ser oculto que ele carrega dentro de si.
Saber lidar com as suas próprias diferenças é a maior busca de Ângela Pralini, reinventando o modo de viver, elege para si uma sobrevida menos dolorosa, mais leve, menos torta, mais suave, que por direito próprio tem o poder de decidir o fim.
Ficha Artística e Técnica
Intérprete - Criadora : Janaína Alves
Criação: Luciano Brandão
Produção: Janaina Alves
Figurino: Antônia Alves
Adaptação do livro Um Sopro de vida, de Clarice Lispector
Duração: 50 min. Não recomendado para menores de: 14 anos. Gênero: drama.

16/novembro – 23h - terça-feira
OS AMANTES – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – IC - Ilha de São Vicente – Cabo Verde.
Adaptação livre em cabo-verdiano da peça Quartet, de Heiner Muller que, por sua vez, foi inspirado no romance epistolar de Choderlos de Laclos, As Relações Perigosas.
O dramaturgo afirmou uma vez que a peça Quartet é uma verdadeira comédia, um jogo sexual que mergulha de forma cínica na luta de classes, apresentando dois personagens ambíguos e intrigantes da Aristocracia Francesa: Merteuil e Valmont. A ação dramática oscila “entre um salão durante a época da Revolução Francesa e um Bunker após a 3ª Guerra Mundial, segundo escreve o autor na primeira e a mais significativa didascália da obra, já que nos indica a sua clara intemporalidade.
Ficha Artística e Técnica
Dramaturgia: Adaptação da peça Quartet, de Heiner Muller
Encenação e Direção Artística: João Branco
Assistente de Encenação: Elísio Leite
Interpretação: Caplan Neves, Nelson Rocha e Sílvia Lima
Espaço Cênico: João Branco
Figurinos: Elisabete Gonçalves
Produção: Centro Cultural Português – IC/ Pólo do Mindelo

Duração: 60 min. Não recomendado para menores de: 16 anos. Gênero: drama.

17/novembro – 23h - quarta-feira
OS AMANTES – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português no Mindelo - Ilha de São Vicente – Cabo Verde.
O dramaturgo afirmou uma vez que a peça Quartet é uma verdadeira comédia, um jogo sexual que mergulha de forma cínica na luta de classes, apresentando dois personagens ambíguos e intrigantes da Aristocracia Francesa: Merteuil e Valmont. A ação dramática oscila “entre um salão durante a época da Revolução Francesa e um Bunker após a 3ª Guerra Mundial, segundo escreve o autor na primeira e a mais significativa didascália da obra, já que nos indica a sua clara intemporalidade.
Ficha Artística e Técnica
Dramaturgia: Adaptação da peça Quartet, de Heiner Muller
Encenação e Direção Artística: João Branco
Assistente de Encenação: Elísio Leite
Interpretação: Caplan Neves, Nelson Rocha e Sílvia Lima
Espaço Cênico: João Branco
Figurinos: Elisabete Gonçalves
Produção: Centro Cultural Português – IC/ Pólo do Mindelo
Duração: 60 min. Não recomendado para menores de: 16 anos. Gênero: drama.


18/novembro – 23h - quinta-feira
A CASA DE BERNARDA ALBA – Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil.
Bernarda Alba, personagem central do texto, é uma matriarca dominadora que mantém as cinco filhas, Angústia, Madalena, Martírio, Amélia e Adela sob vigilância implacável, transformando a casa onde vivem em um pequeno povoado na Espanha, num caldeirão de tensões prestes a explodir a qualquer momento.
Com a morte de seu segundo marido, Bernarda decreta um luto de oito anos e submete suas filhas à reclusão dentro das frias paredes de sua casa e das janelas cerradas. Duas das moças, porém, apaixonadas por um mesmo galanteador das redondezas, um rapaz de vinte e cinco anos chamado Pepe Romano, desencadeiam no meio daquele luto uma disputa cruel e perigosa para conquistarem o amor daquele mesmo homem, com conseqüências trágicas.
Ficha Artística e Técnica
Texto: Federico Garcia Lorca
Encenação e Dramaturgia: Arimatan Martins
Elenco: Lari Salles, Francisco de Castro, Fernando Freitas, Bid Lima, Maneco Nascimento, Tércia Ribeiro,  Luciano Brandão, Airton Martins e Janaina Alves
Iluminação: Assaí Campelo
Cenografia: Emanuel de Andrade
Louças de Cena: Fátima Campos
Figurino: Bid Lima
Maquiador: Kiko
Camareira: Antonia Alves (Toinha)
Costureiras: Luisa de França, Maria José e Edite Rosa (Curso de Figurinos do Ponto de Cultura Nos Trilhos do Teatro/Harém)
Projeto Gráfico: Paulo Moura
Produção: Francisco Pellé
Duração: 80 min. Não recomendado para menores de: 16 anos. Gênero: drama.

19/novembro – 23h - sexta-feira
A CASA DE BERNARDA ALBA – Grupo Harém de Teatro – Teresina – Piauí – Brasil.
Bernarda Alba, personagem central do texto, é uma matriarca dominadora que mantém as cinco filhas, Angústia, Madalena, Martírio, Amélia e Adela sob vigilância implacável, transformando a casa onde vivem em um pequeno povoado na Espanha, num caldeirão de tensões prestes a explodir a qualquer momento.
Com a morte de seu segundo marido, Bernarda decreta um luto de oito anos e submete suas filhas à reclusão dentro das frias paredes de sua casa e das janelas cerradas. Duas das moças, porém, apaixonadas por um mesmo galanteador das redondezas, um rapaz de vinte e cinco anos chamado Pepe Romano, desencadeiam no meio daquele luto uma disputa cruel e perigosa para conquistarem o amor daquele mesmo homem, com conseqüências trágicas.
Ficha Artística e Técnica
Texto: Federico Garcia Lorca
Encenação e Dramaturgia: Arimatan Martins
Elenco: Lari Salles, Francisco de Castro, Fernando Freitas, Bid Lima, Maneco Nascimento, Tércia Ribeiro,  Luciano Brandão, Airton Martins e Janaina Alves
Iluminação: Assaí Campelo
Cenografia: Emanuel de Andrade
Louças de Cena: Fátima Campos
Figurino: Bid Lima
Maquiador: Kiko
Camareira: Antonia Alves (Toinha)
Costureiras: Luisa de França, Maria José e Edite Rosa (Curso de Figurinos do Ponto de Cultura Nos Trilhos do Teatro/Harém)
Projeto Gráfico: Paulo Moura
Produção: Francisco Pellé
Duração: 80 min. Não recomendado para menores de: 16 anos. Gênero: drama.

20/novembro – 23h – sábado
MAR ME QUER – A Outra Companhia de Teatro – Salvador – Bahia.
Os olhos de quem amamos são um barco.
Não é mais uma estória de pescador e nem mais uma de amor. Mar Me Quer pode ser uma alusão a brincadeira dos apaixonados, onde cada pétala retirada significa o destino do amor às vezes não correspondido. Ou ainda pode ser uma referência ao mar que conduz o destino de uma comunidade quase abandonada de pescadores que tanto o querem.
Ficha Artística e Técnica
Texto / Inspiração: Mia Couto
Direção / Dramaturgia: Luiz Antônio Jr.
Adaptação: A Outra Companhia de Teatro
Assistência de Direção: Israel Barretto e Hayaldo Copque
Elenco: Eddy Veríssimo, Luiz Buranga, Manuela Santiago, Roquildes Júnior
Consultaria de Dramaturgia e Encenação: Fernando Yamamoto
Direção musical: Marco França
Assistência de Direção Musical: Diana Ramos e Roquildes Jr.
Preparação Corporal: Fábio Vidal
Preparação Vocal: Diana Ramos
Cenografia: Lorena Torres Peixoto
Caracterização: Luiz Santana
Assistente de Caracterização: Luiz Buranga
Costureira: Letícia Santos e Saraí Reis
Iluminação: AC Costa e Marcos Dedé
Programação Visual: Camilo Fróes
Coordenação de Produção: Luiz Antônio Jr.
Produção Executiva: Eddy Veríssimo e Manuela Santiago
Formação de Platéia: Eddy Veríssimo
Administração: Luiz Buranga
Controle Financeiro: Roquildes Junior
Assessoria de Comunicação: Márcio Bacelar e Roquildes Junior
Realização: A Outra Companhia de Teatro / Teatro Vila Velha
Duração: 60 min. Não recomendado para menores de: livre. Gênero: drama.

5. ESPAÇO TRILHOS
·        15/novembro – 00h - segunda-feira
Show Musical Batuque Elétrico e Os Olivêra.
·        16/novembro – 00h - terça-feira
Apresentação de publicação Revista Setepalcos nº 9: O Teatro em Cabo Verde.
Show Musical: Zaqueu do Acordeon.
17/novembro – 00h - quarta-feira
 Show Musical PIÓ IR.
·        18/novembro – 00h - quinta-feira
Show Musical Eita Piula.
·        19/novembro – 00h - sexta-feira
Show Musical Gomes Brasil.
·        20.novembro – 00h – sábado
Show Musical com Jorge Mautner e Validuaté.
·        21/novembro – 00h – domingo
      FESTA DA LUSÓFONIA

6.   MOSTRA DE TEATRO DE RUA
17/novembro – 17h – quarta-feira
A FLOR DO MAMULENGO – Mamulengo Fantochito – Teresina – Piauí – Brasil.
Relembrando as velhas canções do circo e revivendo as brincadeiras dos mestres do sertão, o espetáculo traduz a origem, a tradição e os espíritos do teatro popular. Os bonecos representam cenas engraçadas do cotidiano da vida humana, excitando a imaginação, sensibilizando o lúdico e criando um espaço poético entre público e espetáculo.
Ficha Artística e Técnica
Criação e Confecção: Afonso Miguel
Duração: 40 min. Faixa Etária: livre. Gênero: Teatro de bonecos
Local: Praça Pedro II.

18/novembro – 17h - quinta-feira
A VERDADEIRA HISTÓRIA DE ROMEU E JULIETA - Grupo Sinos de Teatro de Rua - Teresina – Piauí – Brasil.
A história de Romeu e Julieta, de William Shakespeare, todos já devem conhecer. Só que o que ninguém sabe é que a verdadeira história deste casal se passou em Teresina, no Piauí e em Timon, no Maranhão. Julieta, uma Escapuleta, se apaixona por Romeu, um Montecctimon, e a partir daí os dois jovem vivem grandes desafios cômicos para manter esse amor vivo, já que o rei, pai de Julieta, não admite o romance dos dois. Romeu e Julieta decidem fugir para Timon City e assim manter esse amor vivo e bem longe de seus pais, e é justamente quando decidem fugir que os problemas aparecem...
Ficha Artística e Técnica
Texto: William Shakespeare
Adaptação e Direção: Jean Pessoa 
Elenco: Alinie Moura, Isa Marília, Rafaela Fontenelle, Thiago Saraiva, Cléverson Rodrigues, Alex Reis e Jean Pessoa
Maquiagem: O Grupo
Sonoplastia: Cléverson Rodrigues
Figurino: Alinie Moura, Rafaela Fontenelle. Jean Pessoa
Produção: Jean Pessoa
Duração: 40 min. Recomendação: livre. Gênero: comédia.
Local: Pátio do Teatro Municipal João Paulo II

19/novembro – 17h - Sexta - feira
O AUTO DA FOLIA DE REIS – Grupo Corpos de Teatro Independente – Teresina – Piauí – Brasil.
Montagem de espetáculo teatral de cunho popular que traz como tema principal o Reisado do Piauí. "O Auto da Folia de Reis" possui a característica principal de espetáculo de teatro de rua, resgatando a expressão popular do nosso povo nas mais diversas áreas da cultura nordestina, trabalhando o teatro infanto-juvenil.
Dentro de uma concepção bastante simples, o texto traz no seu bojo um levantamento realizado por trabalho de pesquisa sobre as expressões populares nas mais diversas áreas da cultura nordestina, tendo como foco principal o reisado e costumes do folclore piauiense.
Ficha Artística e Técnica
Texto: Direção e Produção: Adalmir Miranda
Elenco: Talita do Monte, Avelar Amorim, Vitor Sampaio, Eristóteles Pegado, Nayara Fabrícia, Silmara Silva, Adalmir Miranda, Danilo Costa e Arnaldo Pimba.
Músicos: Danilo Costa, Arnaldo Pacovan e Pimba do Acordeon
Arranjos musicais e Trabalho de voz: Beethowen Cunha
Figurino: Adalmir Miranda
Costureiras: Solange Aragão e Selma Sampaio
Adereços: Wilson Costa
Coreografia: Sidh Ribeiro
Programação visual e Cenário: Adalmir Miranda
Duração: 50 min. Não recomendado para menores de: livre. Gênero: livre.
Local: Praça Pedro II

7.    OFICINAS
16/novembro – terça-feira
09h às 13h - Direção de Atores
Ministrante: Maria João Miguel
Local: Casa da Cultura de Teresina.

17/novembro – quarta-feira
09h às 13h - Direção de Atores
Ministrante: Maria João Miguel
Local: Casa da Cultura de Teresina.

18/novembro – quinta-feira
09h às 13h - Direção de Atores
Ministrante: Maria João Miguel
Local: Casa da Cultura de Teresina.

14h às 17h - Ateliê de Interpretação
Ministrante: Antonio Barros
Local: Casa da Cultura de Teresina.

14h às 17h - Teatro de Rua
Ministrante: Alexandre Santini
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campos.
  
19/novembro – sexta-feira
14h às 17h - Teatro de Rua
Ministrante: Alexandre Santini
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campo.

14h às 17h - Ateliê de Interpretação
Ministrante: Antonio Barros
Local: Casa da Cultura.
  
20/novembro – sábado
09h às 12h Teatro de Rua
Ministrante: Alexandre Santini
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campos

14h às 17h - Ateliê de Interpretação
Ministrante: Antonio Barros

Local: Casa da Cultura de Teresina


=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X=X
FestLuso 2009




FESTIVAL DE TEATRO LUSÓFONO 2009 - PROGRAMA GERAL

 GALERIA DO CLUB DOS DIÁRIOS
23.agosto.2009 – domingo
19h - ABERTURA OFICIAL
- Exposição Fotográfica do FESTLUSO – Margareth Leite


2  THEATRO 4 DE SETEMBRO
23.agosto.2009 – domingo
21h – Espetáculo PÁGINAS AMARELAS - Companhia B. de Teatro – Brasília – DF – Brasil
Um misterioso lugar sem nome, retratado em traços amarelados pelo tempo, em cujas ruas e edifícios se cruzam personagens aprisionados em um cotidiano de repetições e fracassos. Flagradas em dramas envolvidos por questões absurdas, discussões sem sentido lógico, ocupações improváveis e preocupações inverossímeis, figuras anônimas se conjugam neste roteiro de vinte e nove anos de fracasso
 ELENCO
Camila Morena da Luz
Giselle Nirenberg
Hugo Leonardo
Ludmilla Valejo
Tatiana Bittar
Márcio Minervino
 EQUIPE TÉCNICA
Direção e orientação corporal: Kenia Dias.
Assistência de direção: Diego Azambuja e Mariana Botelho.
Dramaturgia: Companhia B de Teatro. Inspirada em A Pior Banda do Mundo de José Carlos Fernandes.
Texto original: José Carlos Fernandes.
Orientação de arte: Sônia Paiva.
Iluminação: Manuela Castelo Branco.
Operação de luz: Manuela Castelo Branco e Diego Azambuja.
Trilha sonora: Tomás Seferin.
Operação de som: Mariana Botelho.
Indumentária: Companhia B de Teatro, Mariana Botelho e Sônia Paiva.
Cenografia: Thiago Sabino e Roustang Carrilho.
Montagem e Cenotécnica: Leonardo Shamah e Diego Azambuja.
Orientação de Maquiagem: Jesus Vivas.
Fotografia: Diego Bresani.
Programação visual: Nabuko Design.
Produção: Companhia B de Teatro.
 SERVIÇOS
Duração: 60 min; Classificação:  14 anos;  Gênero: tragicômico;

24.agosto.2009 – segunda-feira
21h – Espetáculo UM NEGÓCIO CHAMADO FAMÍLIA – NAEH - Núcleo de Artes Estrelas no Horizonte – Luanda – Angola
 Abel Sheneider, comerciante, formado em arquitetura e ao mesmo tempo ligado ao ramo empresarial. Abel está com sérios problemas e precisa resolvê-los o mais rápido possível.
Rômulo Tasca seu amigo e cunhado também se encontra na mesma situação, procura Abel a pedido da mulher (irmã de Abel) com intuito de ajudá-lo sem a noção da gravidade dos problemas do amigo. No encontro os dois complicam-se sem poder ouvir o que um tinha a dizer ao outro, passam a noite toda em conversas e discussões. Será que chegaram a um consenso naquela noite?
  ELENCO
Alfredo Bula
Emílio Lucombo
 EQUIPE TÉCNICA
Autor: Júlio Conte
Direcção: José da Casta e Clarici Correia 
Encenação: NAEH
Iluminotécnico: Wander Munana e José Armando
Sonoplasta: Wander Munana e José Armando                                       
Contra-Regra: José Armando
Maquilhagem: Clarici Correia
Figurino: Niva de Fátima
SERVIÇOS
Duração:  70 min; Classificação: livre;   Gênero: drama;

25.agosto.2009 – terça-feira
21h – Espetáculo VELHO PALHAÇO PRECISA-SE – Teatro Extremo - Almada – Portugal
Respondendo a um anúncio, três velhos palhaços reencontram-se  numa sala para serem recebidos em audição. Esperam conseguir uma oportunidade de emprego. Enquanto aguardam, relembram o seu velho passado, recheado de momentos de humor e sarcasmo.
 ELENCO
Fernando Jorge Lopes
José Henrique Neto
Rui Cerveira
 EQUIPE TÉCNICA
Autor: Matéi Visniec
Versão Portuguesa: José Henrique Neto
Encenação: Joseph Collard e Fernando Jorge Lopes
Assistência de Encenação: Isabel Leitão
Cenografia e Adereços: Jean Marc Dercle
Figurinos: Alice Rolo
Desenho de Luz: Fernando Jorge Lopes e Sérgio Moreira
Grafismo: Tiago Pereira
Arte Finalização: Ringue
Fotografia: Sandra Ramos
Web Cam Film: João Lima
Web Master: Filipe Oliveira
Spot Tv/Imagem: Miguel Matias
Produção Executiva: Sofia Oliveira
Assistência de Produção: Paula Almeida
Divulgação e Assessoria Imprensa: Nádia Santos Monteiro
Promoção: Vitor Pinto Ângelo.
 SERVIÇOS
Duração: 105 min; Classificação:   12 anos;  Gênero: comédia;
  
26.agosto.2009 – quarta-feira
21h - Espetáculo PAREM DE FALAR MAL DA ROTINA - POCKET, Elisa Lucinda - Rio de Janeiro – RJ - Brasil
A peça une histórias vividas e ouvidas por Elisa, como observadora do cotidiano, além dos poemas selecionados dos seus livros “O semelhante”, “Eu te amo e suas estréias” e “A Fúria da beleza”.
O resultado são dezenas de personagens que ela interpreta para questionar nosso conceito de rotina, ajudando-nos a perceber que “a rotina” é um personagem fictício que criamos, e que na verdade NÓS temos o poder da mudança, nós somos os diretores, atores, produtores e, principalmente, roteiristas das nossas próprias vidas.
 ELENCO
Elisa Lucinda
 EQUIPE TÉCNICA
Direção, roteiro e atuação: Elisa Lucinda
Assistente de Direção: Geovana Pires
Figurino: Christina Cordeiro
Concepção Cênica: Gisele Licht
Iluminação: Djalma Amaral
Arte: Tangerina Design
Audiovisual: Artezanato Eletrônico, Laranja Filmes.
 SERVIÇOS
Duração: 90 min; Classificação: 16 anos;   Gênero: monólogo-lírico;
  
27.agosto.2009 – quinta-feira
21h – Espetáculo NO INFERNO – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português - IC - Mindelo - Cabo Verde
A angústia da criação. Não há maior angústia, assim como não há dor como aquela que resulta do nascimento de um novo ser humano, e sobre isso são as mulheres as melhores testemunhas. Não há parto sem dor. E com a angústia e a dor chegam os fantasmas, as vozes, as imagens e, sobretudo, o peso do passado, as referências de tudo aquilo que já vimos e lemos, a memória como inimigo do novo, a balança empanturrada com todas as criações anteriores da Humanidade. Que posso eu escrever, pintar, encenar, compor, fotografar, esculpir se (quase) tudo já foi experimentado? Como posso eu preencher a folha em branco, a tela vazia ou o palco despojado de objectos, de movimentos, de vida? Sem procurar respostas, esta peça vive do que se ouve e vê como qualquer peça de teatro, em suma.
 ELENCO
Arlindo Rocha
Elísio Leite
Fonseca Soares
Manuel Estevão
João Branco
 EQUIPE TÉCNICA
Director Artístico: João Branco
Montagem e Operação de Luz: Edson Fortes
 FICHA ARTÍSTICA
Romance original de Arménio Vieira
Adaptação Dramatúrgica: João Branco
Encenação, Cenografia e Direcção Artística: João Branco
Música Original: Caplan Neves
Desenho de Luzes: Edson Fortes
Figurinos: Elisabete Gonçalves
Peças Cenográficas: Carla Correia
Design Gráfico: Neu Lopes
 SERVIÇOS
Duração: 85 min / sem intervalo; Classificação:   Gênero:
  
28.agosto.2009 – sexta-feira
21h - Espetáculo PSYCHO Companhia de Teatro Solaris – Mindelo – S. Vicente - Cabo Verde
 PSYCHO é um espectáculo que vive de expressão corporal e de aquilo que o corpo juntamente com a voz pode transmitir. Tenta lançar novas propostas e abre caminhos para um outro teatro ainda pouco conhecido em Cabo Verde, em que a encenação é bastante presente mas dando ao actor todo o espaço necessário para a exploração do seu corpo na sua total plenitude.
Três Fobias, Duas Actrizes, Um Espectáculo – dois seres atormentados por três fobias (à sujidade, à multidão e ao sexo) encontram-se num micro mundo (num quintal), o que se faz quando não se quer enfrentar a sociedade e ter de precisar dela? PSYCHO é isto…
 ELENCO
Lucilene Mota
Milanka Vera-Cruz

EQUIPE TÉCNICA
Autoria: Valódia Monteiro
Encenação / Direcção Artística: Herlandson Lima Duarte
Cenografia: Herlandson Lima Duarte e Nuno Jorge Costa
Desenho de Luz: Edson Fortes
Técnico de Iluminação: Anselmo Fortes
 SERVIÇOS
Duração: aproximadamente 50 Min.; Classificação: maiores de 14 anos; Gênero: dança-teatro

29.agosto.2009 – sábado
20h30 – Fragmentos CORAÇÃO BAZAR – com Regina Duarte – São Paulo – SP – Brasil
Em “Coração Bazar”, Regina Duarte propõe “abrir o coração” e “abrir-se de coração”. A intenção é fazer da maturidade um ato de reflexão, de doação. Fazer de um ato teatral uma celebração para a vida. Traduzir em sons, gestos, emoções e sensações o ato privilegiado do ator, que é a metamorfose, o multiplicar-se em personagens para tentar compreender os mistérios do viver e do amar. O espetáculo é uma coletânea de Poesia e Prosa, com pesquisa de Ceise Mendes.
 ELENCO
Regina Duarte
 EQUIPE TÉCNICA
Textos: vários autores
Dramaturgia: José Possi Neto e Regina Duarte
Encenação: José Possi Neto
 SERVIÇOS
Duração: 30 min; Classificação: 14 anos;  Gênero:

21h - Espetáculo HARÉM CONTA O ASSASSINATO DO ANÃO... - Grupo Harém de Teatro – Teresina – PI – Brasil
Uma trupe de circo mambembe se instala numa pequena cidade do interior, tendo como grandes atrações o leão Platão e o anão Janjão. Numa certa manhã invadem o circo o poder (Mulher do Prefeito) e a Justiça (Delegado), com a acusação de que estão dando no circo os bichos da cidade para o leão comer, mas para a surpresa de todos é encontrada na jaula de Platão a trouxa de roupa de Janjão.
Quem matou Janjão, o anão do circo cigano? Em torno desse mistério, Plínio Marcos, um dos maiores escritores de nosso país, nos surpreende mais uma vez e desenvolve uma trama policial absurda e extravagante, cheia de sarcasmo e bom humor.
 ELENCO
Francisco Pellé
Francisco de Castro
Bid  Lima
Moisés Chaves
Fernando Freitas
Layanne Holanda
Ozanan Sobrinho
João Vasconcelos
Marcel Julian
Luciano Brandão
Airton Martins
EQUIPE TÉCNICA
Autor: Plínio Marcos
Encenação: Arimatan Martins
Iluminação e Operação: Assaí Campelo
Sonoplastia: José Dantas
Cenografia e Montagem de cenários: Edmar Aquino e Emanuel de Andrade        
Figurinos: Criação Individual         
Maquiagem: Grupo Harém de Teatro      
Contra - Regragem: Grupo Harém de Teatro     
Produção: Francisco Pellé            
Produção Executiva: Airton Martins         
Realização: Grupo Harém de Teatro       
 SERVIÇOS
Duração: 60 min; Classificação:  14 anos;  Gênero: comédia policial

 3  TEATRO MUNICIPAL JOÃO PAULO II - DIRCEU ARCOVERDE
24.agosto.2009 – segunda-feira
10h - Espetáculo ACENDE A NOITE – Cia. Quinta Parede - Porto – Portugal
Um rapaz não gosta da noite. Ele ama todas as espécies de luzes e o sol amarelo. Seu quarto, no coração da noite, é o único iluminado em toda a cidade. Mas ele vê os outros rapazes que jogam à noite entre o claro-escuro dos lampiões. Ele também gostava de jogar mas… Um dia chega a escuridão, uma menina que brinca com ele. Uma história para nos fazer reflectir sobre o nosso medo da sombra, do nosso lado mais escondido e inquietante, mas cheio de maravilhas insuspeitadas.
 INTERPRETAÇÃO
José Caldas
 EQUIPE TÉCNICA
Encenação: José Caldas
Cenografia: José António Cardoso
Bonecos: Marta Silva
Música e Assistência de Encenação: Miguel Rimbaud
Construção de Cenografia: Rui Azevedo
Operação de luzes: Artur Rangel
Fotografias: Sandra Ramos
Luzes: Equipa de Criação
Design Gráfico: Marta Braz
 SERVIÇOS
Duração: 50 min; Classificação: a partir de 4 anos;  Gênero: Teatro e Bonecos;

19h - Espetáculo AMAR SE APRENDE AMANDO – Cia. de Dramas e Comédias – Teresina – PI – Brasil
Aborda de uma forma simples e bem humorada o amor e suas diversas situações cotidianas.
A peça possui cenas curtas e mostra personagens famosos na história como Sansão e Dalila, Maria Bonita e Lampião. Faz-se também uma mescla de ditados populares e pensamentos filosóficos que existem sobre o amor.
A cada cena, uma surpresa. A peça é assim, como o amor “que é um não sei o quê, que surge não sei onde e acaba não sei quando.”
 ELENCO
Lari Salles
Bid Lima
Wilson Costa
Frank Pires
Roraima
 EQUIPE TÉCNICA
Autor: Benjamin Santos
Direção: Anne Amorim
Produtora: Lari Salles
Programação visual gráfica: Paulo Moura
Fotografia: Jairo Moura
Música: Roraima
Coreografia: O Grupo
Apoio de som: José Dantas
Figurinos: Bid Lima
Costureiras: Luiza Lima, Lili Martins, Angélica e Silvana
Cenários e adereços: Wilson Costa
Confecção: Wilson Costa, Marcelo Ribeiro e Beto Pirilampo
Iluminação: Assaí Campelo
Coringa: Marcel Julian
Contra-regra: Marcelo Ribeiro
 SERVIÇOS
Duração: 60 min;  Classificação: 12 anos;  Gênero: comédia.


25.agosto.2009 – terça-feira
19h – Espetáculo EL INSTANTE – Grupo de Teatro Tueza Pala Ku Xala - Luanda – Angola
Nesta peça, são reflectidos temas como a amizade verdadeira, a cumplicidade, a relação entre pais e filhos e sobretudo a paternidade responsável.
Através da história de Daniel, um rapaz que cresceu num ambiente de violência familiar com agressões físicas e psicológicas cometidas pelo pai desde tenra idade, somos obrigados a fazer uma reflexão profunda sobre as consequências da irresponsabilidade e falta de amor paternal.
Daniel dirige-se à casa de Jorge, seu amigo de infância, para contar-lhe algo que o deixava muito nervoso, mas o medo não lhe permite e Jorge obriga-o a confessar.
 ELENCO
Julio César Alfonzo
Dom Petro Dikota                
 EQUIPE TÉCNICA
Sonoplastia / Desenho de Luzes: Vanda Luquel
Tradução: Dom Petro Dikota
Direcção Geral : Orlando Capata
 SERVIÇOS
Duração: 55 min; Classificação: 12 anos  Gênero: drama

26.agosto.2009 – quarta-feira
19h – Espetáculo O HOMEM IDEAL – MACART - M’bêu Associação de Cultura Arte e Teatro - Maputo – Moçambique
Este espectáculo é numa combinação de imagens em vídeo dos sonhos e dos sonhos de Deolinda, uma mulher que anda a procura do homem ideal, e acaba caindo nas mãos de um Barman e da sua Consciência, que questionam todos seus sonhos, e ela acaba ficando mais confusa do que estava antes.
O objectivo não é necessariamente falar sobre as relações afectivas entre as mulheres e os homens, este uso é apenas um pretexto, o objectivo é falar sobre o ser ideal para este mundo que anda cada dia mais complicado, sobre as relações entre os seres humanos, os ideais políticos, qual o melhor, entre os diversos modelos experimentados, e que efeitos tem tido todas estas tentativas de encontrar um mundo melhor para a população mundial.
 ELENCO
Yolanda Fumo 
Isabel Jorge
Eliot Alex
 EQUIPE TÉCNICA
Texto (Original) e Encenação: Evaristo Abreu
Musica: Fran Perez e Paulo Macamo
Video: Evaristo Abreu e  Moises
Som e luz: Alfredo Semo
Cenografia: Alfredo Semo
Fotografia: Andre Manteli
Figurinos: Adelia Tique & Sheila Alexandre
Fotografias: Andre Manteli
 SERVIÇOS
Duração: 70 min; Classificação: 12 anos; Gênero: drama

27.agosto.2009 – quinta-feira
19h – Espetáculo A DANÇA FINAL – A e C Assessoria e Promoções Culturais (Brasil) e Paulo Duarte (Portugal)
Escrita em 1993, a comédia  “A Dança Final” é um retrato cruel de uma sociedade materialista e competitiva, onde as relações de poder no interior do casamento e as dificuldades de lidar com o envelhicimento são nesta peça magistralmente escamoteadas.
 ELENCO
Paulo Duarte
Carmen Carvalho
 EQUIPE TÉCNICA
Autor: Plínio Marcos
Encenação: Rogério de Carvalho
Realização Plástica: Carlos Apolo
Coordenação e Gestão do Projecto
Em Portugal: Paulo Duarte
No Brasil: A & C Assessoria e Promoções Culturais
Luminótecnia e Sonoplastia: Carlos Apolo
Assistência de Produção: Sandra Roque
Direcção de Cena: Paulo Duarte
Grafismo: Carlos Apolo
Pesquisa: Sandra Roque
 SERVIÇOS
Duração: 75 min; Classificação:  14 anos; Gênero: comédia

28.agosto.2009 – sexta-feira
19h – Espetáculo EINSTEIN – Teatro Extremo – Almada – Portugal
A acção passa-se em 1949. Einstein, no dia do seu septuagésimo aniversário, enquanto se prepara para um jantar de comemoração, faz reflexões sobre a sua vida. Conversa com a plateia num tom intimista, não isento de irreverência e sensibilidade, revelando a importância da imaginação e da intuição nas nossas vidas, discutindo a relação entre ciência e poder e lembrando diferentes momentos da sua vida, num diálogo consigo próprio e com o público.
 INTERPRETAÇÃO
Fernando Jorge Lopes
 EQUIPE TÉCNICA
Autor: Gabriel Emanuel (Gordon Wiseman)
Versão Portuguesa: José Henrique Neto
Dramaturgia e Encenação: Sylvio Zilber
Assistência de Encenação: Isabel Leitão
Cenografia e Adereços: Arminda Moisés Coelho
Assistente de Cenografia: David Oliveira
Figurinos: Alice Rolo
Consultor Musical: António Vitorino Rocha
Desenho de Luz: Celestino Verdades
Desenho de Som: Sérgio Moreira
Carpintaria: João Paulo Santos
Grafismo: RINGUE
Fotografia: Sandra Ramos
Web Film: YUMY Technology
Web Master: Filipe Oliveira
Produção Executiva: Sofia Oliveira
Assistência de Produção: Paula Almeida;
Divulgação e Assessoria de Imprensa: Nádia Santos Monteiro;
Promoção: Vitor Pinto Ângelo
 SERVIÇOS
Duração: 65 m, s/intervalo;  Classificação:   m/12 anos;  Gênero:
  
29.agosto.2008 – sábado
19h – Espetáculo PSYCHO – Cia de Teatro Solaris – Mindelo – Cabo Verde
É um espectáculo que vive de expressão corporal e de aquilo que o corpo juntamente com a voz pode transmitir. Tenta lançar novas propostas e abre caminhos para um outro teatro ainda pouco conhecido em Cabo Verde, em que a encenação é bastante presente mas dando ao actor todo o espaço necessário para a exploração do seu corpo na sua total plenitude.
Três Fobias, Duas Actrizes, Um Espectáculo – dois seres atormentados por três fobias (à sujidade, à multidão e ao sexo) encontram-se num micro mundo (num quintal), o que se faz quando não se quer enfrentar a sociedade e ter de precisar dela? PSYCHO é isto…
 ELENCO
Lucilene Mota
Milanka Vera-Cruz
 EQUIPE TÉCNICA
Autoria: Valódia Monteiro
Encenação / Direcção Artística: Herlandson Lima Duarte
Cenografia: Herlandson Lima Duarte e Nuno Jorge Costa
Desenho de Luz: Edson Fortes
Técnico de Iluminação: Anselmo Fortes
 SERVIÇOS
Duração: aproximadamente 50 Min.; Classificação: maiores de 14 anos; Gênero: dança-teatro

4  PROGRAMAÇÃO TEATRO ESTAÇÃO
24.agosto.2009 – segunda-feira
23h – Espetáculo A MULHER SEM PECADO – Oficina de Teatro Procópio Ferreira – Teresina – PI – Brasil
"A Mulher Sem Pecado" é uma peça que narra à inquietude de um homem que sente ciúme doentio pela sua jovem e bela mulher. A trama gira à volta desta reação psicológica com um desfecho surpreendente.
 ELENCO
Kaio Rodrigues
Janaina Alves
Clerys Derys
Thaylana Valle
Wallancy Nunes
Rafael
Vinícius
Giselly Christine
Jéssica Staylane
Fernanda Paz
 EQUIPE TÉCNICA
Direção: Luciano Brandão
Encenação: Oficina Permanente de Teatro Procópio Ferreira
Operação de Som: Luciano Brandão
 SERVIÇOS
Duração: 50  min; Classificação:  12 anos;  Gênero: drama cotidiano

25.agosto.2009 – terça-feira
23h - Espetáculo 17 MINUTOS ANTES DE VOCÊ - Truá Cia. de Espetáculos - Teresina – PI - Brasil
O espetáculo gira em torno de um casal da terceira idade, que construiu toda uma vida juntos, sem filhos. Cada um mergulha no seu mundo: a mulher, sua novela de rádio; o homem, suas doenças e seus remédios. A partir deste desencontro de ações e reações, vai-se traçando um painel do cotidiano destas pessoas que buscam na estranheza um do outro, no jogo de vontades imediatas conflitantes entre si, saciar a necessidade de estarem juntos.
 ELENCO
Vitorino Rodrigues
Júnior Marks,
 EQUIPE TÉCNICA
Direção: Eraldo Maia
Co-Direção: Elielson Pacheco.
Dramaturgia, Cenário, Figurino e Sonoplastia: criação coletiva
Operação de Som: Kelson Sampaio
Iluminação e Operação de Luz: Bruno Elsenn.
 SERVIÇOS
Duração: 45 min;  Classificação:  livre;   Gênero: Drama cômico;

26.agosto.2009 – quarta-feira      
23h – Espetáculo DEUS DANADO Cia. A Máscara de Teatro - Mossoró – RN
- Brasil
Deus Danado? Homem. Bicho. Seca.
O espetáculo de forma crua mostra a vida/morte de dois homens que lutam entre si a procura de uma botija que segundo a lenda é repleta de riquezas. A eterna busca pelo poder cegar o homem, gera o bicho que guiado pelo ódio e desamor não é capaz de perceber a grande virtude do ser... O afeto depositado no seu dia-a-dia, o carinho e a admiração que um filho pode ter por seu pai. A seca agora não rasga a terra, mas sangra a sociabilidade do homem que já não tem esperança...
 ELENCO
Tony Silva e Jeyzon Leonardo - Teodoro
Damásio Costa e Luciana Duarte - Luiz
 EQUIPE TÉCNICA
Texto: João Denys
Direção: Marcelo Flecha
Figurino: Criação Coletiva
Cenografia: Marcelo Flecha
Iluminação: Marcelo Flecha                                                       
Cenotécnica: Damásio Costa
Operador de Luz:  O Grupo
Operador de Som: O Grupo
Produção: Cia. A Máscara de Teatro.
SERVIÇOS
Duração: 70 min; Classificação: 14 anos;  Gênero: Drama seco.

27.agosto.2009 – quinta-feira
23h – Espetáculo HOSPÍCIO POÉTICO – Cia. Sala 12 – Teresina – Piauí - Brasil
O Processo de Criação desse espetáculo tem resultado numa série de questionamentos e numa busca freqüente e inquietante sobre a mente humana e todos os distúrbios de personalidade, especialmente sobre a Psicose e a Neurose e sua relação com os pacientes portadores desse tipo de comportamento humano. 
São várias as tendências de reflexão sobre a Doença Mental, notadamente sobre as Neuroses que, embora provenientes de diversos momentos históricos do pensamento psicológico, estimulam bastante as discussões sobre o tema. Transformar em Dança tem sido o grande desafio durante o Processo de Criação.
 ELENCO - BAILARINOS-ATORES:
Datan Izaká
Paulo Beltrão
Hellen Mesquita
 EQUIPE TÉCNICA
Poesias: Silmara Silva
Criação e Direção: Datan Izaká, Paulo Beltrão
 SERVIÇOS
Duração:  30 min Classificação Livre :   Gênero: dança/teatro

28.agosto.2009 – sexta-feira
23h – Espetáculo A RAINHA DO RÁDIO - Cia. de Dramas e Comédias – Teresina – PI – Brasil
A peça conta a história de Adelaide Fontana, apresentadora de um programa de poesias de uma rádio do interior que, após 25 anos trabalhando, é demitida. O enredo, que se passa na década de 60, ilustra alguns fatos que marcaram a época, principalmente no tocante às questões políticas e sociais. ”As mulheres vão às ruas reivindicar seus direitos, assumem seus projetos, queimam sutiãs e passam a assumir responsabilidade de trabalho e na família como sujeito ativo de sua vida”
 INTERPRETAÇÃO
Lari Salles
 EQUIPE TÉCNICA
Texto: José Saffioti Filho
Direção: coletiva
Voz em off: Joel Silva
Trilha Sonora: Ana Maria, Dalton Maciel e José Dantas
Operação de Som: Lari Salles
Iluminação: Edson Reis
Figurino: Bid Lima
Poemas: Carlos Drummond de Andrade, Fernando Pessoa, Graça Vilhena e Marleide Lins
 SERVIÇOS
Duração: 60 min;  Classificação: 12 anos;  Gênero: comédia.
  
29.agosto.2009 – sábado
23h – Espetáculo DELÍCIAS MACHADIANAS – Os Federais – Teresina – Piauí – Brasil
"Lição de botânica" já é uma peça onde se trabalha a linguagem, atualizando o português, mas mudando pouquíssimo da concepção original de Machado. Até as rubricas dele foram respeitadas. "A igreja do diabo" foi adaptada de um conto e, apesar de ter vários outros personagens, é focado somente em Deus e no diabo, para falar das contradições humanas. Há somente figuração em alguns pontos da peças, mas o forte são esses dois personagens e o diálogo que travam para tentar compreender o ser humano. “Um apólogo". Apesar de esse texto falar de uma conversa entre uma linha e uma agulha, decidimos que seria uma conversa entre duas senhoras para trazer para a esfera humana a luta pelo poder, apesar de as duas senhoras ainda representarem os objetos originais (uma linha e uma agulha).
 ELENCO
Islânya Verçosa
M Nunes
João Philippe
Érica Fontes
Nayron Pereira
Rayanne Marques
Geraldo Rodrigues
Carol Tajra.
 EQUIPE TÉCNICA
TEXTO: Machado de Assis ("Lição de botânica", "A igreja do diabo", "Um apólogo")
Figurino: Os Federais
Iluminação: Os Federais
Direção: Érica Fontes
Músico: M Nunes
 SERVIÇOS
Duração: 50 min; Classificação: livre;  Gênero: performance

23h30 - Festa da Lusofonia
Pátio aberto

- GALPÃO 02
25, 26 e 27.agosto.2009 – terça a quinta-feira
18h30 – Espetáculo A META – GEMTE – Grupo Emgerpi de Teatro de Teresina – PI - Brasil
A meta trata de ciência e educação. É uma tentativa de mostrar que podemos postular um número bem pequeno de hipóteses e utilizá-lo para explicar um grande espectro de fenômenos industriais, deriva de hipótese a respeito de fenômenos que vemos diariamente nas fábricas, é tão impecável que poderia ser chamada de bom senso. O que a peça tenta mostrar é que não é necessário ter uma inteligência excepcional para construir uma nova ciência ou expandir uma já existente. É preciso apenas ter coragem para enfrentar inconsistências e evitar fugir delas só por que “é dessa forma que as coisas sempre foram feitas”.
 ELENCO
Alberto da Silva
Aldenira Martins
Diego Germano
Janailson Borges
José Ribamar Silva
Luis Lima
Mairlon Lopes
Maria do Carmo Portela
Jesus Miranda
Jesus Martins
Mary Célia Gonzaga
Teresa Sales
Rodervaldo Medeiros
 E AS CRIANÇAS:
Emanuelle Andrade
Lorenzo Vieira
Monnielle Martins
Maria Clara
Marielle Martins
Filipe José
Francisco Matheus
Matheus Barbosa
FICHA TÉCNICA
Espetáculo: A META
Autores: Eliyahu Goldratt e Jeff Cox
Tradução: Thomas Corbett Neto
Adaptação e Roteiro: GEMTE (Arimatan Martins e Valéria Queiroz)
Cenários e Adereços: Emanuel de Andrade
Figurinos: Solange Aragão
Make Up: Fran Gerson Melo
Iluminação: Assaí Campelo
Corpo e Movimento:Fernando Freitas
Sonoplastia: José Dantas
Vídeo: Tamar Fortes
Direção e Coordenação: Arimatan Martins
Produção: EMGERPI
Realização: GEMTE
 SERVIÇOS:
Duração: 50 min; Classificão: livre;  Gênero: teatro empresa

 5  MOSTRA DE TEATRO DE RUA
27.agosto.2009 – quinta-feira
17h - Espetáculo TÁ NA RUA EM MEMÓRIAS – Grupo Tá Na Rua - Rio de Janeiro – RJ - Brasil
Local: Pátio do Teatro Municipal João Paulo II
Fragmentos. Lembranças, esboços, apontamentos. Lapsos. Versões.
O Tá Na Rua abre o seu baú de memórias, revelando momentos marcantes da vida brasileira e mundial das últimas décadas. Como numa trouxa de retalhos, o espetáculo apresenta um panorama de acontecimentos variados
ELENCO
Aldo Perrotta
Ana Cândida
Cíntia Santana
Herculano Dias
Letícia Almeida
Lua Ramos
Mery Alentejo
Miguel Campelo
Mônica Saturnino
Tathiane Mattos
Paulinho Andrade
 FICHA TÉCNICA
Direção: Amir Haddad
Produção executiva: Disnael dos Anjos
Sonoplastia: Alessandro Persan
 SERVIÇOS
Duração: 60min; Classificação:  livre;  Gênero: teatro de rua

29.agosto.2009 – sábado
17h – Espetáculo TÁ NA RUA EM MEMÓRIAS – Grupo Tá Na Rua - Rio de Janeiro – RJ - Brasil
Local: Praça Pedro II
Fragmentos. Lembranças, esboços, apontamentos. Lapsos. Versões.
O Tá Na Rua abre o seu baú de memórias, revelando momentos marcantes da vida brasileira e mundial das últimas décadas. Como numa trouxa de retalhos, o espetáculo apresenta um  panorama de acontecimentos variados
 ELENCO
Aldo Perrotta
Ana Cândida
Cíntia Santana
Herculano Dias
Letícia Almeida
Lua Ramos
Mery Alentejo
Miguel Campelo
Mônica Saturnino
Tathiane Mattos
Paulinho Andrade
 FICHA TECNICA
Direção: Amir Haddad
Produção executiva: Disnael dos Anjos
Sonoplastia: Alessandro Persan
 SERVIÇOS
Duração: 60min; Classificação:  livre;  Gênero: teatro de rua
  
6  COMPLEXO CLUB DOS DIÁRIOS
- GALERIA DO CLUB DOS DIÁRIOS
23 a 29 de agosto – domingo a sábado
Exposição Fotográfica
FESTLUSO 2008.
Fotografias de Teatro – Margareth Leite – Teresina – PI – Brasil

- SALA TORQUATO NETO
24.agosto.2009 – segunda-feira
10h – Palestra e lançamento do filme documentário “Oxalá Cresçam Pitangas”, ONDJAKI – autor e cineasta angolano
Oxalá Cresçam Pitangas revela a realidade por detrás da permanente fantasia luandense. 10 vozes vão expondo com ritmo, dignidade e coerência, um espaço ocupado por várias gerações e dinâmicas sociais complexas. Luanda ainda não havia sido filmada sob esta perspectiva realista e humana: conflitos entre a população e a esfera política, a proliferação do sector informal, as desilusões e as aspirações, o questionamento do espaço urbano e do futuro de uma Angola em acelerado crescimento.
 FICHA TÉCNICA
País: Angola – Portugal
Realização: Ondjaki e Kiluanje Liberdade
Argumento: Kiluanje Liberdade e Ondjaki
Fotografia: Inês Gonçalves
Som : Inês Oliveira e Elsa Ferreira
Montagem: Maria Joana
Música: Helvio
Produção: Kiluanje Liberdade – KLIG e Ondjaki
Duração: 62' aprox 


25.agosto.2009 – terça-feira
10h - Espetáculo ACENDE A NOITE Cia. Quinta Parede - Porto – Portugal
Um rapaz não gosta da noite. Ele ama todas as espécies de luzes e do sol amarelo. Seu quarto, no coração da noite, é o único iluminado em toda a cidade. Mas ele vê os outros rapazes que jogam, à noite, entre o claro-escuro dos lampiões. Ele também gostava de jogar mas… Um dia chega a escuridão, uma menina que brinca com ele e lhe ensina o jogo de acender a noite. Uma história para nos fazer reflectir sobre os nossos medos da sombra, do nosso lado mais escondido e inquietante, mas cheio de maravilhas insuspeitadas.
 ENCENAÇÃO E INTERPRETAÇÃO: José Caldas

EQUIPE TÉCNICA
Cenografia: José António Cardoso
Bonecos: Marta Silva
Música e Assistência de Encenação: Miguel Rimbaud
Construção de Cenografia: Rui Azevedo
Operação de luzes: Artur Rangel
Fotografias: Sandra Ramos
Luzes: Equipa de Criação
Design Gráfico: Marta Braz
 SERVIÇOS
Duração: 50 min; Classificação: a partir de 4 anos;  Gênero: Teatro e Bonecos;

26.agosto.2009 – quarta-feira
PROJETO MANHÃS ILUMINADAS
10h – Palestra LUZ COMO SEMIOLOGIA DOS SENTIMENTOS HUMANOS - Djalma Amaral – Rio de Janeiro – RJ - Brasil

27.agosto.2009 - quinta-feira
PROJETO MANHÃS ILUMINADAS  
10h – Palestra ETAPAS DO PROCESSO DE CRIAÇÃO - Paulo César Medeiros – Rio de Janeiro – RJ - Brasil
                                                                                               
28.agosto.2009 – sexta-feira
PROJETO MANHÃS ILUMINADAS
10h – Palestra ILUMINAÇÃO CÊNICA NO BRASIL CONSIDERAÇÕES PARTICULARES - Aurélio de Simoni – Rio de Janeiro – RJ – Brasil

29.agosto.2009 - sábado
10h – “Encontro de Diretores Lusófonos” convidados: João Branco – Mindelo-Cabo Verde, Fernando Jorge - Almada-Portugal, José Caldas - Porto Portugal, Arimatan Martins - Teresina-PI-Brasil, Rogério de Carvalho - Lisboa-Portugal, Dom Petro Dikota – Luanda/ Portugal, Amir Harddad - Rio de Janeiro-RJ-Brasil, Marcelo Flecha - São Luis – MA-Brasil, Herlandson Duarte - Cabo Verde, Evaristo Abreu – Maputo – Moçambique, João das Neves - Belo Horizonte-MG-Brasil.
Local: Sala Torquato Neto – Club dos Diários

15h – Encontro MINC E OS ARTISTAS – Mesa com a participação de Marcelo Bonnes – Diretor do Centro de Artes Cênicas da FUNARTE – Rio de Janeiro – RJ, Márcio Meirelles – Secretário de Cultura de Salvador – BA, Juana Nunes – Coordenadora de Mobilização e Articulação de Redes Sociais – SCC _ Brasília – DF e Alexandre Santini – Consultor do Prêmio Interações Estéticas – SCC – Rio de Janeiro – RJ.

7  OFICINAS
24 a 28.agosto.2009 – segunda a sexta-feira
14h às 18h - Oficina ILUMINAÇÃO CÊNICA, Ronaldo Costa – Natal – RN - Brasil
Local: Sala Torquato Neto

24 a 26.agosto.2009 – segunda a quarta-feira
Das 9h às 12h e das 14h às 17h – Oficina CORPO E TEATRALIDADE – Kenia Dias – Belo Horizonte – MG - Brasil
Local: Casa da Cultura de Teresina

8  ESPAÇO TRILHOS (PONTO DE CULTURA NOS TRILHOS DO TEATRO)
24.agosto- segunda-feira
23h - Lançamento do Livro O MORTO, OS VIVOS E O PEIXE FRITO, de  ONDJAKI – escritor e cineasta angolano

24.agosto- segunda-feira
23h30 – Orquestra Nostalgia

25.agosto – terça-feira
23h30 – Grupo de Samba Declaração

26.agosto – quarta-feira
23h30 – Edvaldo Nascimento e Banda

27.agostoquinta-feira
23h30 – Trombone e Cia

28.agosto – sexta-feira
23h30 – Zaqueu Jonas – Forró

29.agosto – sábado
23h30 - Festa da Lusofonia
- Dandinha e Banda – Pátio
- DJ Samantha Menina – Galpão 03

 =x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x

FestLuso 2008
  


                FESTIVAL DE TEATRO LUSÓFONO 2008 – PROGRAMAÇÃO GERAL

1 THEATRO 4 DE SETEMBRO
24.agosto.2008 – domingo
21h – Espetáculo Cabaré da RRRRaça - Bando de Teatro Olodum - Salvador- Bahia-Brasil

25.agosto.2008 – segunda-feira
10h - Mesa de Conferência Relações e Políticas Culturais na CPLP, com a participação de Márcio Meirelles - Secretário de Cultura da Bahia – Brasil – Adriano Jordão – Presidente do Instituto Camões no Brasil (Portugal) - Celso Frateschi - Presidente da Funarte (Brasil) e Sônia Terra – Presidente da Fundac (Brasil), Bárbara Santos-Centro de Teatro do Oprimido – Rio de Janeiro –RJ-Brasil.
Local: Theatro 4 de Setembro

15h às 18h – Palestra-Espetáculo 50 Anos do Teatro Oficina, com José Celso Martinez Corrêa – São Paulo – SP - Brasil

21h - Espetáculo RAIMUNDA PINTO, SIM SENHOR! - Grupo Harém de Teatro – Teresina - Piauí – Brasil

26.agosto.2008 – terça-feira
21h – Espetáculo MULHERES NA LAJINHA - Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – ICA - Cabo Verde

27.agosto.2008 – quarta-feira
10h - Mesa de Conferência Divulgação e Preservação da Língua Portuguesa no Mundo, com a participação da atriz Lucélia Santos - São Paulo - Brasil.
Local: Theatro 4 de Setembro
21h - Espetáculo MAGIA NEGRA - Teatro Fórum de Moura – Moçambique/Portugal

28.agosto.2008 – quinta-feira
10h - Espetáculo PEDRO E O LOBO - Teatro Extremo – Almada - Portugal
21h - Espetáculo MERCADORIAS E FUTURO - Lirinha – Recife –Pernambuco - Brasil

29.agosto.2008 – sexta-feira
10h – Mesa de Conferência Dramaturgia Lusófona, com a participação de Mario Bortolotto - Londrina-Paraná-Brasil, Joaquim Paulo Nogueira - Lisboa-Portugal, Hamilton Vaz Pereira - Rio de Janeiro-RJ-Brasil, Aderbal Freire Filho - Rio de Janeiro-RJ-Brasil, Dom Petro Dikota – Angola, Júlio Conte – Porto Alegre-RS-Brasil, Isabel José Vicente - Angola.
Local: Theatro 4 de Setembro
21h – Espetáculo NOJO – Grupo de Teatro de Pesquisa “Serpente” – Kixingangu - Angola

30.agosto.2008 - sábado
21h - Espetáculo AS VELHAS - arte pública - Beja- Portugal

2 TEATRO MUNICIPAL JOÃO PAULO II - DIRCEU ARCOVERDE
25.agosto.2008 – segunda-feira
19h - Espetáculo Nojo – Grupo de Teatro de Pesquisa “Serpente” – Kixingangu - Angola
 26.agosto.2008 – terça-feira
19h – Espetáculo O Marinheiro – A. e C. Companhia de Teatro – Teresina – Piauí - Brasil
 27.agosto.2008 – quarta-feira
19h – Apresentação Projeto Instantâneo – Núcleo de Criação do Dirceu – Teresina – Piauí - Brasil
 28.agosto.2008 – quinta-feira
19h - Espetáculo Mistério Cômico – Paulo Duarte - Beja - Portugal
 29.agosto.2008 – sexta-feira
19h – Espetáculo O Sr. Milhões ou o doido e a morte – Grupo Teatral Cena Só – São Tomé e Príncipe
30.agosto.2008 - sábado
19h - Espetáculo O Esqueleto do Cozinheiro Akli - Teatro Fórum de Moura – Moçambique/Portugal
  
3 PROGRAMAÇÃO TEATRO ESTAÇÃO
 25.agosto.2008 – segunda-feira
23h – Espetáculo Camões é Um Poeta Rap - arte pública – Beja - Portugal

26.agosto.2008 – terça-feira
23h - Eu só quero me mover – Solo – Eduardo Prazeres - Núcleo de Criação do Dirceu – Teresina – Piauí - Brasil

27.agosto.2008 – quarta-feira      
23h – Espetáculo Auto da Barca do Inferno – Grupo Tear de Teatro – Teresina – Piauí - Brasil

28.agosto.2008 – quinta-feira
23h – Espetáculo Chá das Quintas - Cia de Teatro da Cidade – Teresina – Piauí – Brasil

29.agosto.2008 – sexta-feira
23h – Espetáculo Diário de Uma Ladra - Cia. de Teatro Os Shakespirados – Teresina – Piauí - Brasil

30.agosto.2008 – sábado
23h - Espetáculo Identidade Lusófona - Os Federais – Teresina –Piauí - Brasil
23h30min - Festa da Lusofonia
  
4 MOSTRA DE TEATRO DE RUA
 27.agosto.2008 – quarta-feira
17h - Espetáculo Nas Garras do Capa Bode – Trupe ´Caba de Chegar – Fortaleza – Ceará - Brasil
Local: Pátio do Teatro Municipal João Paulo II

28.agosto.2008 – quinta-feira
17h – Espetáculo Nas Garras do Capa Bode - Trupe ´Caba de Chegar – Fortaleza – Ceará - Brasil
Local: Universidade Federal do Piauí - UFPI

29.agosto.2008 – sexta-feira
11h – Espetáculo Conversa de Lavadeiras – Trupe ´Caba de Chegar – Fortaleza – Ceará - Brasil
Local: Praças dos Bambus – Universidade Estadual do Piauí - UESPI

30.agosto.2008 - sábado
17h – Espetáculo Quem Matou Zefinha? – Trupe ´Caba de Chegar – Fortaleza – Ceará - Brasil
Local: Praça Pedro II

 5 PROGRAMAÇÃO TEATRO ASSEMBLÉIA
Dia 27/08 - quarta-feira
9h – Espetáculo Pedro e o Lobo – Teatro Extremo – Almada – Portugal

Dia 28/08 quinta-feira
19h – Espetáculo Mulheres na Lajinha – Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo – ICA – Cabo Verde

Dia 29/08 - sexta–feira
19h – Espetáculo As Velhas – arte pública – Beja - Portugal

 6 COMPLEXO CLUB DOS DIÁRIOS
GALERIA DO CLUB DOS DIÁRIOS
24.agosto.2008 – domingo
19h - Abertura pelo Ministro da Cultura, Governador do Estado do Piauí e autoridades convidadas;

25 a 30 de agosto - segunda-feira a sábado
Exposição Fotográfica
LUZ, CÂMERA, ENCENAÇÃO.
Fotografias de Teatro – Assaí Campelo – Teresina – PI – Brasil

SALA TORQUATO NETO
25 a 30 de agosto - segunda-feira a sábado
Mostra de Cinema Lusófono
Sala Torquato Neto
12h30min

26.agosto.2008 – terça-feira
10h – Palestra Espaços de Legitimação da Arte – relação entre imprensa e artistas - Christianne Galdino - Recife – Pernambuco
           - Lançamento do Livro Balé Popular do Recife-Escrita de uma Dança – Christianne Galdino

16h às 18h - Demonstração de grupos de teatro do Piauí - Projeto Ponto a Ponto do Teatro do Oprimido

30.agosto.2008 - sábado
10h – “Encontro de Diretores Lusófonos” – convidados: João Branco – Mindelo-Cabo Verde, João Vasco - Almada-Portugal, Jorge Feliciano – Moura-Portugal,  Arimatan Martins - Teresina-PI-Brasil, Gisela Cañamero - Beja-Portugal, Pedro Domingues - Fortaleza-CE-Brasil, Clemente Tsambe-Maputo-Moçambique
Local: Sala Torquato Neto – Club dos Diários

8 OFICINAS
25.08.2008 - segunda-feira
9h às 12h - Oficina Corpo Cênico, com Lenora Lobo (coreógrafa brasileira) – Brasília – DF - Brasil
Local: Teatro Municipal João Paulo II

14h às 17h – Oficina A Voz da Personagem - Joaquim Paulo Nogueira – Portugal
Loca: Teatro Estação

26.08.2008 - terça-feira
9h às 12h – Oficina Corpo Cênico – com Lenora Lobo (coreógrafa brasileira) – Brasília – DF - Brasil
Local: Teatro Municipal João Paulo II

14h às 17h – Oficina A Voz da Personagem - Joaquim Paulo Nogueira – Portugal
Loca: Teatro Estação

Dia 27.08.2008 - quarta-feira
9h às 12h – Oficina Corpo Cênico– com Lenora Lobo - Brasília- DF - Brasil
Local: Teatro Municipal João Paulo II

9h às 12h – Oficina Criação Teatral - Gisela Cañamero
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campos

14h às 17h – Oficina A Voz da Personagem - Joaquim Paulo Nogueira – Portugal
Loca: Teatro Estação

28.08.2008 - quinta-feira
9h às 12h – Oficina Criação Teatral - Gisela Cañamero – Beja - Portugal
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campos

14h às 17h – Oficina A Voz da Personagem - Joaquim Paulo Nogueira – Portugal
Loca: Teatro Estação

29.08.2008 - sexta-feira
9h às 12h– Oficina Criação Teatral - Gisela Cañamero
Local: Escola Técnica de Teatro Gomes Campos

14h às 17h – Oficina A Voz da Personagem - Joaquim Paulo Nogueira – Portugal
Loca: Teatro Estação

30.08.2008 - sábado
 14h às 17h – Oficina A Voz da Personagem - Joaquim Paulo Nogueira – Portugal
Loca: Teatro Estação

2 comentários:

  1. Esperava que os músicos da banda velha gaiteira fizessem parte do show de 2015, não deu espero que proximo festluso eles façam parte desta festa.

    ResponderExcluir